quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Gestão pública da água foi tema de Simpósio na UFPB (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor José Farias olhando para a câmera. 
O evento foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas e pelo Instituto O Direito por um Planeta Verde. O primeiro painel do III Simpósio de Direito Ambiental da Região Nordeste teve como título Crise Hídrica, Complexidade e Gestão da Água no Semiárido. Os palestrantes levantaram questões relacionadas à convivência com o semiárido e à má administração institucional e pessoal da água. Participaram do painel os professores José Farias de Souza Filho, do Unipê; José Irivaldo Alves de Oliveira Silva, da Universidade Federal de Campina Grande; Victor Rafael Fernandes Alves, da Universidade Potiguar; e José Esteban de Castro, da Universidade New Castle. Em sua exposição, José Farias ressaltou que o problema da água demanda tratar de outros fatores do meio ambiente de forma conjunta. Ele também é promotor de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público da Paraíba. O repórter Douglas de Oliveira entrevistou José Farias de Souza Filho para o Espaço Experimental.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Painel discutiu a ausência de democratização no acesso à água (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Ronaldo Alencar olhando para a câmera.
O evento ocorreu na última quinta-feira, no auditório da Reitoria da UFPB. Ele fez parte do III Simpósio de Direito Ambiental da Região Nordeste. O debate teve o intuito de proporcionar reflexão sobre os direitos e deveres que a sociedade tem com a água. Os assuntos levantados foram a má gestão dos recursos hídricos na Paraíba, a dificuldade no acesso à água, a indústria da seca e o direito ambiental. Segundo o professor Ronaldo Alencar, a falta de orientação e divulgação dos temas é uma das principais causas dos problemas hídricos. A repórter Maria Clara Lima entrevistou Ronaldo Alencar para o Espaço Experimental. Ele é professor do Departamento de Ciências Jurídicas da UFPB.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Revista Malembe lançou edição dedicada e produzida por mulheres (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto da capa da quarta edição da revista Malembe. É composta por uma ilustração em que recortes de fotos e desenhos se confundem em obra de arte quase abstrata.

De circulação semestral, Malembe é um periódico dedicado à Literatura e está no seu quarto número. A proposta da nova edição surgiu da necessidade de visibilizar a produção feminina. Idealizada por Carlos Nascimento, Débora Gil Pantaleão e Guilherme Delgado, suas editorias são específicas para cada gênero literário. A nova edição ganhou mais uma categoria, dedicada à tradução. Mais informações com a repórter Bianca Patrícia.

Fórum debateu relação entre família e instituições de educação infantil (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Emília Barros falando em um microfone que segura com a mão esquerda.
O debate ocorreu em evento organizado pelo Centro de Educação da UFPB e teve como palestrante Emília Barros. O II Fórum Temático sobre Educação Infantil aconteceu nesta última quarta-feira, no auditório da Central de Aulas, campus de João Pessoa. A exposição seguiu quatro contextos relacionados à educação infantil: o histórico, o político, o pedagógico e o dos afetos. Relacionado ao histórico, a palestrante ressaltou a importância da conquista dos vários modelos de família legitimados socialmente e legalmente. A repórter Carolina Jurado entrevistou Emília Barros, Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Ela tem formação em Psicanálise pela Sociedade Psicanalítica da Paraíba.

domingo, 13 de agosto de 2017

Estudo investiga uso antiético do neuromarketing (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor David Drieskens de pé, falando em um microfone. Atrás dele há uma projeção sobre uma tela, onde aparecem desfocadas algumas palavras.
O assunto está sendo estudado pelo pesquisador David Drieskens, doutorando em Neurociências na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Neuromarketing é uma das ciências que estudam o comportamento do consumidor. Nela, a comunicação e as neurociências têm encontrado um ponto em comum. Em recentes pesquisas, atestou-se a funcionalidade de estudar as escolhas do consumidor através de imagens do seu cérebro. Mais informações com o repórter Douglas de Oliveira.

Pesquisa busca desenvolver novo fármaco antidepressivo mais eficiente (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Elaine Gaviole sorrindo para a câmera. Ela está de pé e atrás dela veem-se dois sofás, uma mesa de centro com um vaso com flores e, na parede, banner de um evento.
A partir dele, será possível produzir medicamento capaz de dar respostas mais rápidas a pacientes com depressão, com um mínimo de efeitos colaterais. O trabalho está sendo realizado pela professora Elaine Gavioli, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. As pesquisas ainda estão em estágio de testes pré-clínicos com animais. O repórter Samuel Amaral conversou com a professora e traz mais detalhes.

Diagnóstico precoce tem potencial para retardar processos demenciais (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Bernardino Fernandéz olhando para a câmera.
O professor Bernardino Fernandéz, do Departamento de Psicologia da UFPB, estuda o envelhecimento cognitivo e o benefício do diagnóstico precoce. Segundo ele, as demências podem ser adiadas por até cinco anos quando diagnosticadas antecipadamente. Contudo, é necessário que as pessoas sejam informadas sobre as formas de tratamento, para que se obtenha melhores resultados. Mais informações com a repórter Maria Clara Lima.

sábado, 12 de agosto de 2017

Racismos, antirracismos e culturas de branquitude foram discutidos na UFPB (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Petrônio Domingues sentado, falando em um microfone que segura com a mão direita enquanto gesticula com a esquerda.
O evento foi organizado pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes e pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-Brasileiros e Indígenas, o Neabi. A mesa do debate foi realizada para abertura do período letivo do CCHLA e aconteceu terça-feira, no auditório deste Centro. A mesa foi composta pelos professores Petrônio Domingues, da Universidade Federal de Sergipe; Elio Chaves Flores, do Departamento de História da UFPB; e Mônica Nóbrega, Diretora do CCHLA. Foram debatidos diversos aspectos do tema, como o histórico do racismo no Brasil e as políticas públicas de antirracismo. Na ocasião foi ressaltada a importância do estudo das culturas de branquitude para um entendimento mais aprofundado das questões raciais. A repórter Jéssica Soares entrevistou Petrônio Domingues, Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo. Ele é docente da pós-graduação em História da UFS.

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Ativistas debateram feminismo lésbico negro na UFPB (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto de Marli Soares de perfil.
A Liga Brasileira de Lésbicas e o Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria, realizou no dia 29 de julho uma roda de diálogo. O tema foi Discutindo o Feminismo Lésbico Negro: construindo a visibilidade, dignidade e respeito. O debate aconteceu na sede do Sindicato dos Professores no Campus de João Pessoa e contou com convidadas de coletivos feministas da Paraíba e Pernambuco. Foram discutidas questões como representatividade LGBT, racismo, lesbofobia, saúde pública e direitos da mulher negra e lésbica. Mais informações com a repórter Laís Suassuna.

domingo, 6 de agosto de 2017

Audiência pública encerrou ciclo de eventos de combate ao tráfico humano (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto da mesa do I Seminário Estadual de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas. Nela estão, da esquerda para a direita, profa. Michelle Agnoleti (UEPB), o deputado federal Luiz Couto, Vanessa Lima, do Comitê de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas, e Renata Braz, Coordenadora do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas do Ministério da Justiça.

A sessão foi presidida pela vereadora Sandra Marrocos e contou com plenário lotado. Durante a audiência foi ressaltada a importância do debate sobre o assunto e avaliadas as atividades da semana anterior. Dos eventos desenvolvidos mereceu destaque, pelo amplo conteúdo abordado, o I Seminário Estadual de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas, ocorrido no dia 28. As ações tiveram início no dia 24 e se encerraram na última segunda-feira. Mais detalhes com a repórter Luciana Duarte.

Mesa redonda debateu religião e guerra em Game of Thrones (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto da professora Luciana de Campos sorrindo para a câmera.

O Neve, Núcleo de Estudos Vikings e Escandinavos da UFPB, promoveu na última segunda-feira seu III Ciclo de Debates, tendo como tema Religião e Guerra em Game of Thrones. O evento ocorreu na última segunda-feira e contou com exposições de professores de Relações Internacionais, Literatura e Ciências das Religiões. Mais informações com o repórter Samuel Amaral.

Batuqueiro Thiago Nagô de Recife conta sua história no maracatu (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto de Thiago Nagô de perfil, braços abertos, segurando um microfone em uma das mãos. 
Thiago herdou influências do maracatu de baque virado dos seus familiares, que também são batuqueiros desde a década de 60. O maracatu permitiu que criasse vínculos em João Pessoa com artistas que compartilham do gosto. Thiago Nagô é batuqueiro da Nação de Maracatu Estrela Brilhante de Recife, que apadrinha a nação paraibana Pé de Elefante. A repórter Larissa Silvani conversou com Thiago e traz mais informações.

sábado, 5 de agosto de 2017

Marcus Alves e a poesia – I (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto de Marcus Alves no estúdio. Ele está folheando um livro.
Neste sábado o Espaço Experimental apresentou uma entrevista com o jornalista, escritor e sociólogo Marcus Alves. Na conversa com a repórter Nayla Georgia, ele falou sobre sua formação, o despertar do seu gosto pela escrita, suas influências e principalmente sobre a poesia.

Marcus Alves e a poesia – II (ed. 5/8/17)

Descrição para cegos: foto de Marcus Alves no estúdio, falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental apresentou uma entrevista com o jornalista, escritor e sociólogo Marcus Alves. Na conversa com a repórter Nayla Georgia, ele falou sobre sua formação, o despertar do seu gosto pela escrita, suas influências e principalmente sobre a poesia.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Psiquiatra discutiu na UFPB avanços no uso terapêutico da cannabis (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Eliane Lima sorrindo para a câmera. Atrás dela vê-se um parcialmente um painel com o símbolo da Liga Canábica, que consiste em uma folha da planta tendo um coração no centro.

A discussão ocorreu em evento organizado pelo projeto Cannabis Medicinal e pela Liga Canábica, tendo como palestrante Eliane Lima Guerra Nunes. O I Seminário sobre Uso Medicinal da Cannabis aconteceu na quarta-feira dia 26, no auditório da reitoria. A palestra abordou diversos aspectos do tema, como o histórico da substância retirada da planta, o canabidiol. Foram abordados também os resultados positivos que pacientes obtiveram após o usar a medicação. Na ocasião foi ressaltado o pioneirismo da Paraíba, primeiro estado a ter aprovação judicial da plantação da cannabis para uso medicinal. A repórter Carolina Jurado entrevistou Eliane Lima Guerra Nunes, Doutora em Fisiopatologia Experimental pela Universidade de São Paulo. Ela é coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa da Secretaria Municipal de Saúde da cidade paulista de Santo André.

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Mostra divulgou atividades da Clínica de Psicologia da UFPB (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Sandra Souza sorrindo para a câmera.
O evento ocorreu na última quinta-feira, no Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Segundo a professora Sandra Souza, a mostra teve o intuito de propagar os serviços desenvolvidos pela clínica. A exposição durou o dia todo e contou com a presença dos coordenadores das atividades. Foram dez serviços apresentados, entre eles Plantão Psicológico na Clínica Ampliada, Avaliação Psicológica e Desenvolvimento de Habilidades de Vida na Adolescência. A repórter Maria Clara Lima entrevistou Sandra Souza para o Espaço Experimental. Ela é docente do Departamento de Psicologia da UFPB e vice coordenadora da Clínica de Psicologia.

domingo, 30 de julho de 2017

Comitê realiza atividades de conscientização sobre tráfico humano (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto de um grupo de 13 pessoas em portão de embarque do aeroporto segurando uma faixa onde se lê: "30 de julho: Dia mundial de enfrentamento ao tráfico e desaparecimento de pessoas".
A intenção do Comitê de Enfrentamento ao Tráfico e Desaparecimento de Pessoas é conscientizar a sociedade para esse tipo de crime. Além disso, objetiva implantar um sistema efetivo de atendimento às vítimas e contribuir para a consolidação de políticas públicas nessa área. As atividades começaram no último dia 24 e se encerram nesta segunda-feira com audiência pública na Câmara Municipal. Mais detalhes com a repórter Luciana Duarte.

Ricardo Juarez conta sua trajetória no mundo da dublagem (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Ricardo Juarez sorrindo para a câmera. 
Com anos de experiência no ramo, o ator carioca emprestou sua voz para animações, jogos e filmes disponíveis com áudio em português. A versatilidade do artista vai de desenhos animados bem caricatos até narrações com sua voz mais natural. Seu trabalho ganhou notoriedade depois de dublar Johnny Bravo, no desenho homônimo do Cartoon Network, em 1997. Por seus trabalhos estarem sempre envolvidos no mundo da cultura pop, Ricardo é frequentemente convidado a participar de eventos do gênero. Um exemplo foi a sua presença na Comic Con Experiense Tour que ocorreu em março, em Recife. A repórter Bruna Cairo conta um pouco sobre a trajetória de Ricardo Juarez.

sábado, 29 de julho de 2017

Ñasaindy Barrett de Araújo, a filha de Soledad – I (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Ñasaindy no estúdio, falando ao microfone.
Ela nasceu em Cuba, veio para o Brasil aos 11 anos e durante muito tempo viveu sem a documentação que refletisse sua verdadeira filiação: José Maria Ferreira de Araújo, de família paraibana, e Soledad Barrett Viedma, paraguaia, ambos mortos pela ditadura. Os impactos e encontros que a vida lhe trouxe, Ñasaindy transformou em poesia, que ela reuniu no livro Do que foi pra ser Agora, em pré-venda pela Editora Mondrongo. Sobre o livro, sua história e a dos seus pais, Ñasaindy foi entrevistada para o Espaço Experimental pela repórter Marina Cabral.

Ñasaindy Barrett de Araújo, a filha de Soledad – II (ed. 29/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Ñasaindy no estúdio, falando ao microfone.
Ela nasceu em Cuba, veio para o Brasil aos 11 anos e durante muito tempo viveu sem a documentação que refletisse sua verdadeira filiação: José Maria Ferreira de Araújo, de família paraibana, e Soledad Barrett Viedma, paraguaia, ambos mortos pela ditadura. Os impactos e encontros que a vida lhe trouxe, Ñasaindy transformou em poesia, que ela reuniu no livro Do que foi pra ser Agora, em pré-venda pela Editora Mondrongo. Sobre o livro, sua história e a dos seus pais, Ñasaindy foi entrevistada para o Espaço Experimental pela repórter Marina Cabral.


quarta-feira, 26 de julho de 2017

Comitê promove semana de eventos sobre combate ao tráfico humano (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Vanessa Lima sorrindo.
São oito dias de atividades, iniciadas segunda feira, até o dia 31. A iniciativa é do Comitê de Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos na Paraíba, integrado por diversas Secretarias do Estado da Paraíba, bem como pelas Polícias Federais da União, Ministérios Públicos Federal e Estadual, Defensorias Públicas Federal e Estadual, Rede Um Grito Pela Vida, entre outros órgãos governamentais e não governamentais. O Comitê, criado em julho do ano passado, objetiva articular a rede de proteção e promover o enfrentamento da problemática no Estado. Dentre as atividades que o Comitê realiza, haverá um seminário para capacitar pessoas que atuarão auxiliando o combate ao tráfico humano. Será na próxima sexta-feira, no Litoral Hotel, na orla de Cabo Branco. Também haverá panfletagens em locais estratégicos da capital e nas áreas de embarque e desembarque do aeroporto Castro Pinto e da Rodoviária. Encerrando as atividades, no dia 31, às 9 horas, ocorre audiência pública sobre o tema na Câmara Municipal de João Pessoa. A repórter Luciana Duarte entrevistou a Coordenadora do Comitê Enfrentamento ao Tráfico de Seres Humanos na Paraíba, Vanessa Lima.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Livro discute escrachos de torturadores realizados pelo movimento estudantil (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Ana Paula Brito compondo uma imagem em que sua imagem se funde à capa do livro. Esta tem na sua metade superior a foto de um jovem se preparando para pular um muro cheio de pichações. Na inferior, constam o nome da obra e de sua autora.
A obra, resultante da dissertação de mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural da historiadora Ana Paula Brito, foi lançada no dia 19 na UFPB. Na ocasião, a autora proferiu a palestra de abertura do período letivo do Curso de História. O livro Escrachos aos Torturadores da Ditadura foi lançado pela Editora Expressão Popular e terá a venda revertida para o movimento Levante Popular da Juventude. O repórter Gabriel Costa entrevistou Ana Paula Brito sobre seu livro e os escrachos dos torturadores para o Espaço Experimental.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Professor aponta caminhos para uma reflexão apurada sobre o jornalismo (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Carlos Franciscato durante a palestra, falando em um microfone.
Com essa abordagem, Carlos Franciscato abriu o evento inaugural do período letivo da graduação em Jornalismo da UFPB na segunda-feira, dia 17. A II Jornada de Produção de Pesquisa em Jornalismo aconteceu na Sala Aruanda, no Centro de Comunicação, Turismo e Artes. A conferência teve como título Desafios para pensar o jornalismo no século XXI. A exposição foi dividida em três pontos: transformações contemporâneas no jornalismo, desafios para a pesquisa em jornalismo e um detalhamento sobre características fundamentais do jornalismo. A repórter Bianca Patrícia entrevistou o professor Carlos Franciscato, Doutor em Comunicação e Culturas Contemporâneas e Coordenador da pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Sergipe.

Professora pesquisa aproveitamento de descarte da indústria alimentícia (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Jailane Aquino em seu escritório, sorrindo para a câmera.
A intensa utilização de frutas na indústria brasileira gera quantidade significativa de subprodutos. Descartados pelas indústrias de polpas, resíduos como cascas, sementes e bagaço representam grande parte do fruto. Por apresentarem alto valor nutricional, esses subprodutos constituem uma alternativa para o enriquecimento da dieta humana. A pesquisa objetivou analisar o teor nutricional desses subprodutos e procurou novas maneiras de utilizá-los. Outro benefício resultante do aproveitamento desses resíduos é minimizar impactos ambientais. A coordenadora da pesquisa foi a professora do curso de Nutrição da UFPB Jailane de Souza Aquino, que atua na área de nutrição experimental. Mais informações com a repórter Râmila Ramalho.

domingo, 23 de julho de 2017

Débora Gil Pantaleão – I (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Débora Gil Pantaleão no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Apesar de ter publicado seu primeiro livro em 2015, Débora Gil Pantaleão faz literatura desde a infância, na poesia e na prosa. Este ano, uma editora de alcance nacional, a Penalux, lançou sua novela Causa Morte. Ela foi entrevistada pela repórter Fernanda Barreto para o Espaço Experimental sobre sua carreira e projetos.

Débora Gil Pantaleão – II (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Débora Gil Pantaleão no estúdio, durante a entrevista. Ela está rindo.
Apesar de ter publicado seu primeiro livro em 2015, Débora Gil Pantaleão faz literatura desde a infância, na poesia e na prosa. Este ano, uma editora de alcance nacional, a Penalux, lançou sua novela Causa Morte. Ela foi entrevistada pela repórter Fernanda Barreto para o Espaço Experimental sobre sua carreira e projetos.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

10 anos do Coletivo de Teatro Alfenim – I (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Zezita Matos no estúdio, falando ao microfone.
Empenhado em inovar na linguagem teatral e na forma como se organiza, o Coletivo de Teatro Alfenim comemora uma década de existência com uma retrospectiva das peças que montou ao longo do período. Sobre o grupo, sua proposta e seu engajamento, o Espaço Experimental entrevistou a atriz Zezita Matos e o ator Adriano Cabral, numa produção de Râmila Ramalho, Rennan Ono e William Veras.

10 anos do Coletivo de Teatro Alfenim – II (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Adriano Cabral no estúdio, falando ao microfone.
Empenhado em inovar na linguagem teatral e na forma como se organiza, o Coletivo de Teatro Alfenim comemora uma década de existência com uma retrospectiva das peças que montou ao longo do período. Sobre o grupo, sua proposta e seu engajamento, o Espaço Experimental entrevistou a atriz Zezita Matos e o ator Adriano Cabral, numa produção de Râmila Ramalho, Rennan Ono e William Veras.

sábado, 15 de julho de 2017

João Nicodemos, poeta das coisas – I (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de João Nicodemos com uma de suas rabecas, em uma de suas apresentações, sorrindo, tendo um microfone diante dele. 
Músico, escritor, artista visual e luthier, ele se diz essencialmente um poeta que busca a poesia que existe nas coisas. Um pouco do resultado dessa procura pode ser conferido até o dia 14 de agosto na Estação Cabo Branco, onde ele está expondo rabecas e outros instrumentos musicais criados a partir de madeira reciclada, além de gravuras. João Nicodemos foi entrevistado para o Espaço Experimental por Renata Torres.

João Nicodemos, poeta das coisas – II (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de João Nicodemos no estúdio, falando ao microfone.
Músico, escritor, artista visual e luthier, ele se diz essencialmente um poeta que busca a poesia que existe nas coisas. Um pouco do resultado dessa procura pode ser conferido até o dia 14 de agosto na Estação Cabo Branco, onde ele está expondo rabecas e outros instrumentos musicais criados a partir de madeira reciclada, além de gravuras. João Nicodemos foi entrevistado para o Espaço Experimental por Renata Torres.



Canal de João Nicodemos no YouTube

Blogs de João Nicodemos:

segunda-feira, 10 de julho de 2017

O Grupo Marias – I (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Tatyane Guimarães no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Antes da docência, trabalhando como advogada popular, a professora Tatyane Guimarães atuou na defesa de mulheres em situação de vulnerabilidade. Essa experiência ela levou para o Centro de Ciências Jurídicas da UFPB onde, a partir do eixo de gênero e saúde do Centro de Referência em Direitos Humanos, criou o Grupo Marias. Tatyane foi entrevistada sobre o projeto para o Espaço Experimental. Produção de Fernanda Barreto, Nayla Georgia e Renata Torres.

O Grupo Marias – II (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Tatyane Guimarães falando a microfone, durante a entrevista.
Antes da docência, trabalhando como advogada popular, a professora Tatyane Guimarães atuou na defesa de mulheres em situação de vulnerabilidade. Essa experiência ela levou para o Centro de Ciências Jurídicas da UFPB onde, a partir do eixo de gênero e saúde do Centro de Referência em Direitos Humanos, criou o Grupo Marias. Tatyane foi entrevistada sobre o projeto para o Espaço Experimental. Produção de Fernanda Barreto, Nayla Georgia e Renata Torres.

sábado, 8 de julho de 2017

O Porto do Capim subindo a ladeira - I (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Regina Célia no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Na sua edição de hoje, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista sobre o projeto Subindo a Ladeira, que desde 2010 atua junto à comunidade do Porto do Capim, no Centro Histórico de João Pessoa, com atividades educativas e culturais. Foram convidados a professora Regina Célia Gonçalves, do Departamento de História da UFPB, coordenadora do projeto, e o músico e ativista Erick de Almeida. A produção foi de Joanderson Almeida, Matheus Couto e Vitor Feitosa.



O Porto do Capim subindo a ladeira - II (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto do músico Erick de Almeida no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Na sua edição de hoje, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista sobre o projeto Subindo a Ladeira, que desde 2010 atua junto à comunidade do Porto do Capim, no Centro Histórico de João Pessoa, com atividades educativas e culturais. Foram convidados a professora Regina Célia Gonçalves, do Departamento de História da UFPB, coordenadora do projeto, e o músico e ativista Erick de Almeida. A produção foi de Joanderson Almeida, Matheus Couto e Vitor Feitosa.

domingo, 2 de julho de 2017

Comissão Camponesa da Verdade – I (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Ana Paula Romão no estúdio, durante a entrevista.

No campo, assassinatos, torturas, prisões arbitrárias e desaparecimentos vitimaram lideranças camponesas que despontavam na luta pela reforma agrária, e essa violência começou antes mesmo do golpe de 1964. Com a ditadura, os desmandos se acirraram e o número de vítimas ainda é incerto. Foi com o objetivo de tentar aclarar mais essa história que atuou a Comissão Camponesa da Verdade, assunto abordado nesta edição do Espaço Experimental. Foram entrevistados pela repórter Marisa Rocha a professora Ana Paula Romão e o professor Eduardo Fernandes, que atuaram na comissão.

Comissão Camponesa da Verdade – II (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Eduardo Fernandes no estúdio, durante a entrevista.

No campo, assassinatos, torturas, prisões arbitrárias e desaparecimentos vitimaram lideranças camponesas que despontavam na luta pela reforma agrária, e essa violência começou antes mesmo do golpe de 1964. Com a ditadura, os desmandos se acirraram e o número de vítimas ainda é incerto. Foi com o objetivo de tentar aclarar mais essa história que atuou a Comissão Camponesa da Verdade, assunto abordado nesta edição do Espaço Experimental. Foram entrevistados pela repórter Marisa Rocha a professora Ana Paula Romão e o professor Eduardo Fernandes, que atuaram na comissão.

sábado, 1 de julho de 2017

Cláudio Paiva, cultura e mídia – I (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Cláudio Paiva no estúdio, durante a entrevista.

Professor do Departamento de Comunicação da UFPB, Cláudio Cardoso de Paiva lançou recentemente dois livros organizados por ele: Epifania das Imagens e Protestos.com.br. O primeiro aborda a cultura audiovisual, o outro, reflete sobre as manifestações de junho de 2013 e a cobertura da mídia. Sobre esses trabalhos ele foi entrevistado pela repórter Laianna Janu para o Espaço Experimental.

Cláudio Paiva, cultura e mídia – II (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Cláudio Paiva, de perfil. No estúdio, ele fala ao microfone.

Professor do Departamento de Comunicação da UFPB, Cláudio Cardoso de Paiva lançou recentemente dois livros organizados por ele: Epifania das Imagens e Protestos.com.br. O primeiro aborda a cultura audiovisual, o outro, reflete sobre as manifestações de junho de 2013 e a cobertura da mídia. Sobre esses trabalhos ele foi entrevistado pela repórter Laianna Janu para o Espaço Experimental.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Ecodesign aposta na sustentabilidade e inova em quilha para prancha de surf (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Marivaldo Wagner escolhendo livros em uma biblioteca. Com a mão direita ele mexe em alguns volumes e, na esquerda, segura outro cujo título é "Design".

O Grupo de Pesquisa em Design, Materiais e Inovação Social, que usa a sigla DeMAIS, reúne professores e alunos do Campus do Litoral Norte da UFPB. Eles estudam resíduos de materiais biodegradáveis e identificam como podem ser reaproveitados na concepção de novos produtos. O DeMAIS é coordenado por Marivaldo Wagner, Chefe do Departamento de Design do Campus IV. Um dos projetos reutiliza pet para produzir quilhas de prancha de surf. Marivaldo explica que o curso é o único inserido em uma área de proteção ambiental e não em um polo industrial. Isto justifica a consciência de alunos e professores caminhar em direção à sustentabilidade. Mais detalhes com a repórter Larissa Silvani.

Livro discute desafios contemporâneos da prevenção às drogas (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Silvana Maciel olhando para a câmera. Ao lado dela vê-se a capa do livro, que contém uma ilustração formada por círculos e esferas e, sobre esta uma tarja sobre a qual está escrito o título.

Foi organizado pela professora Silvana Maciel, do Departamento de Psicologia, a partir das discussões do III Congresso de Saúde Mental e Dependência Química, realizado na UFPB. A obra Redes de Assistência em Saúde Mental & Dependência Química destina-se a todas as pessoas interessadas em se aprofundar no estudo sobre saúde mental, dependência química e a rede de assistência. Mais informações com o repórter William Veras.

domingo, 18 de junho de 2017

Professora destaca a importância da Filosofia na formação de adolescentes (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Lidiane Brito olhando para a câmera.

Em meio as polêmicas sobre a retirada da Filosofia da grade curricular do Ensino Médio, muitos educadores ainda acreditam na sua importância. Uma disciplina que leva à reflexão e que desenvolve o pensamento crítico é indispensável durante a adolescência, afirmam defensores da sua manutenção. Lidiane Brito, graduada em Filosofia pela UEPB e professora da rede pública, tem estudado a importância do ensino da Filosofia no Ensino Médio. A repórter Cibelle Torres conversou com ela e traz mais informações.

Músico Lula Farias se reinventa com EP Cancioneiro (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto de Lula Farias tocando violão no pátio da Fortaleza de Sta. Catarina.

O disco representa um novo momento do artista, que lança na internet um repertório de músicas com elementos regionais. O EP se diferencia dos seus trabalhos anteriores por se distanciar do rock. Além disso, se caracteriza como um álbum mais intimista. O artista é natural de Cambuí, cidade mineira, e se divide entre a universidade e a música. Vive na capital paraibana e é graduando de Jornalismo na UFPB. Mais informações com a repórter Lívia Costa.

sábado, 17 de junho de 2017

Meninas na Computação – I (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto da professor Josilene Aires no estúdio, falando ao microfone.

A desigualdade de gênero tem forte influência na escolha das carreiras pelas jovens que ingressam no ensino superior. Visando contribuir para reverter esse quadro, o Projeto Meninas na Computação estimula alunas do Ensino Médio a se interessarem pela informática em nível avançado, objetivando atrai-las para as áreas tecnológicas. Para falarem sobre o projeto e a pouca presença feminina na área, o repórter Jadson Falcão entrevistou a professora Josilene Aires, do Departamento de Informática da UFPB, e a estudante Bianca Amorim, bolsista do projeto.

Meninas na Computação – II (ed. 17/6/2017)

Descrição para cegos: foto de Bianca Amorim no estúdio, falando ao microfone.

A desigualdade de gênero tem forte influência na escolha das carreiras pelas jovens que ingressam no ensino superior. Visando contribuir para reverter esse quadro, o Projeto Meninas na Computação estimula alunas do Ensino Médio a se interessarem pela informática em nível avançado, objetivando atrai-las para as áreas tecnológicas. Para falarem sobre o projeto e a pouca presença feminina na área, o repórter Jadson Falcão entrevistou a professora Josilene Aires, do Departamento de Informática da UFPB, e a estudante Bianca Amorim, bolsista do projeto.

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Denúncia de violência sexual choca participantes de evento acadêmico (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto de manifestação de estudantes. Elas carregam cartazes e uma faixa onde se lê: "Pelo afastamento do professor acusado de estupro! UFG se posicione!"

O caso foi narrado durante um debate que apresentava levantamentos sobre as dificuldades para o combate do assédio sexual. Enquanto estatísticas sobre a violência contra a mulher eram apresentadas, uma aluna violentada por um professor rompeu o silêncio e resolveu falar. O fato aconteceu na Universidade Federal de Goiás, no Campus Regional de Jataí. O repórter William Veras entrevistou a professora Cláudia Graz, do movimento de combate ao assédio sexual na UFG e traz mais detalhes sobre esse caso.

Instituto de pesquisa de direitos volta a atuar no segundo semestre (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Ana Lia Almeida de perfil, falando a um microfone. Ao fundo, vê-se desfocada a plateia.
A decisão foi tomada em reunião realizada no final de maio, no Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba. Para o próximo semestre, o Instituto de Pesquisa, Direitos e Movimentos Sociais já tem atividades programadas, reunindo pesquisadores e lideranças populares. A repórter Marisa Rocha conversou com a professora Ana Lia Almeida, que coordenou a reunião e traz mais detalhes.

domingo, 11 de junho de 2017

Pesquisa aborda relações sociais e preconceito com albinos (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto de Adailton Aragão sentado, olhando para a câmera. Ele tem uma mesa diante de si, sobre a qual segura um caderno e um lápis, Atrás dele há uma estante com pastas.

O albinismo é uma doença rara e hereditária, que pode passar gerações sem se manifestar em uma família. Quem nasce com a alteração genética, sofre não só com problemas físicos, mas também psicológicos e sociais. É o que estuda a pesquisa Guerreiros do Sol: Uma Reflexão sobre os Albinos, do mestrando em Sociologia pela UFPB Adailton Aragão. Para esclarecer o assunto, a repórter Vanessa Mousinho entrevistou o pesquisador. Adailton é graduado em Ciências Sociais pela UFPB e especialista em Africanidades e Cultura Afro-Brasileira.

Pesquisa avalia estimulação transcraniana para combater enxaqueca (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto da pesquisadora Renata Brito sentada, sorrindo para a câmera.

O trabalho está sendo realizado na pós-graduação em Neurociência Cognitiva e do Comportamento da UFPB pela fisioterapeuta Renata Brito. Ela tenta identificar a forma mais eficaz do uso de um aparelho de estimulação transcraniana com corrente contínua contra a enxaqueca. Esse aparelho já é usado em pacientes com lesões cerebrais e, na UFPB, pesquisa-se seu uso para o tratamento de Alzheimer. Mais informações com a repórter Renata Torres.

Estudo analisa a quantidade de sulfito em vinagres (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Jailane Aquino ao lado de um painel em que se destacam alguns gráficos.

Utilizados como antioxidante pela indústria, os sulfitos agem como conservantes em alguns tipos de alimentos. Esse tipo de aditivo é normalmente adicionado em vinagres, e em grandes quantidades podem ser tóxicos ao ser humano. No Brasil são consumidos cerca de 170 milhões de litros de vinagre ao ano. Desses, 80 por cento do consumo corresponde ao vinagre de álcool. O estudo buscou analisar se os vinagres comercializados no país atendem aos padrões estabelecidos pela legislação. A pesquisa foi orientada pela professora do curso de Nutrição da UFPB Jailane de Souza Aquino, especialista na área de Tecnologia de Alimentos. Mais informações com a repórter Râmila Ramalho.

sábado, 10 de junho de 2017

Pedro Américo, muito mais que o pintor – I (ed. 10/6/2017)

Descrição para cegos: foto de 3 livros da Coleção Pedro Américo (Discursos Parlamentares, Pedro Américo - Biografia e O Holocausto). Os dois primeiros têm a capa padronizada da coleção, constando de uma reprodução de um dos seus quadros na metade superior e seu retrato na inferior. Do outro, divisa-se apenas o título e parte capa, com predomínio de branco.

Conhecido pela sua obra Grito do Ipiranga, que se tornou o ícone da independência do Brasil, o paraibano Pedro Américo foi muito mais que o pintor reconhecido; transitou pela literatura, filosofia, ciência e política. Sua história, em todas essas dimensões, vem sendo objeto de pesquisas do professor de Comunicação e artista plástico Silvano Silva, responsável pelo lançamento de várias obras de e sobre Pedro Américo, agora reunidas em uma coleção. Para falar sobre isso, ele foi entrevistado pela repórter Lylyanne Braz para o Espaço Experimental.