quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Estudo analisou federalização de crimes de grupos de extermínio (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Luana Porto sorrindo para a câmera.

A pesquisa buscou verificar o deslocamento da competência para a Justiça Federal e seu êxito para a defesa dos Direitos Humanos. O trabalho foi apresentado por Luana Porto, no Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da UFPB. Para a sua dissertação de mestrado, ela estudou a federalização do caso do assassinato do ativista social Manoel Mattos. Morto em 2009, Mattos atuava no combate aos grupos de extermínio na fronteira entre Paraíba e Pernambuco. Mais informações com a repórter Danielle Mendes.

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Futebol é campo fértil para manifestações de racismo (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Andreza Ferreira olhando para a câmera.
Isso foi constatado pela pesquisa intitulada Xingamento ou preconceito?: um estudo sobre o preconceito racial no futebol brasileiro realizada por Andreza Ferreira. A psicóloga estudou o assunto para obtenção de seu título de Mestre em Psicologia Social na UFPB. Foram entrevistados 295 estudantes universitários da Paraíba, o que também permitiu uma análise de discursos perante situações de racismo. Mais informações com a repórter Luíza Araújo.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Estudo procura traçar perfil psicológico de agressores de violência de gênero (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Carmen Gaudêncio sorrindo para a câmera, tendo, atrás de si, painel com transcrições de artigos científicos.
A pesquisa analisa crimes de violência contra mulheres, padrões mentais e de conduta dos infratores com o objetivo de estabelecer o perfil emocional e comportamental do agressor denunciado ou condenado por esse crime. O trabalho é coordenado pela professora Carmen Gaudêncio, do Departamento de Psicologia da UFPB. Mais informações com a repórter Laís Suassuna.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Microalgas do litoral nordestino têm alto potencial para produção de biodiesel (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Elizandra Ribeiro no laboratório, examinando recipiente de vidro que segura com o braço levantado à altura dos olhos.
Elizandra Ribeiro, doutoranda em Biotecnologia na UFPB, estuda o uso das microalgas na produção de biodiesel. Em meio às preocupações ambientais, as microalgas surgem com alto potencial energético e pouca emissão de gases tóxicos. A pesquisa acontece no Laboratório de Ambientes Recifais e Biotecnologia em Microalgas da Universidade Federal da Paraíba. Mais informações com o repórter Robson Martins.

Entre o digital e a tradição figurativa, Minna Miná ilustra a vida (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Minna Miná sorrindo para a câmera. Atrás dela há alguns desenhos de sua autoria em um expositor.
Seu mais recente trabalho inspira-se na sua vivência durante uma temporada na cidade do Porto, em Portugal. Pronto para ser publicado, o livro é intitulado Onde as Gaivotas Fazem seus Ninhos. A artista pessoense, recém-graduada em Mídias Digitais pela Universidade Federal da Paraíba, trabalha com xilogravura, linoleogravura, serigrafia e escultura. Sua obra já pode ser vista em videoclipes e capas de livros. Mais informações com a repórter Marina Cabral.

sábado, 9 de dezembro de 2017

NCDH: 10 anos atuando para a cidadania e os direitos humanos - I (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Nazaré Zenaide no estúdio, falando ao microfone.
Esta semana o Espaço Experimental apresentou uma entrevista focada na atuação do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba. Falaram pelo NCDH os professores Giuseppe Tosi e Maria de Nazaré Tavares Zenaide, integrantes do grupo de pesquisadores e ativistas que contribuiu para que, nestes 10 anos de existência, o Núcleo tenha se tornado referência nacional em direitos humanos. A produção foi de Jéssica Soares, Luciana Duarte e Robson Martins.

NCDH: 10 anos atuando para a cidadania e os direitos humanos - II (ed. 9/12/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Giuseppe Tosi no estúdio, falando ao microfone enquanto folheia alguns papéis,
Esta semana o Espaço Experimental apresentou uma entrevista focada na atuação do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba. Falaram pelo NCDH os professores Giuseppe Tosi e Maria de Nazaré Tavares Zenaide, integrantes do grupo de pesquisadores e ativistas que contribuiu para que, nestes 10 anos de existência, o Núcleo tenha se tornado referência nacional em direitos humanos. A produção foi de Jéssica Soares, Luciana Duarte e Robson Martins.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Documentário sobre quilombolas valoriza herança cultural africana no Pará (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: pôster do documentário. Mostra cortejo de quilombolas atravessando rua de barro batido, vestidos com trajes coloridos, imitando realeza. Muitos deles usam coroas. Alguns portam instrumentos de percussão. Na parte superior da imagem, onde se vê o céu, o nome Marambiré está escrito em vários tipos de letra.
Intitulado Marambiré, o trabalho de André dos Santos registra manifestações culturais quilombolas na comunidade paraense de Pacoval. Entre os temas abordados estão a música, o teatro e a dança do quilombo. Além disso, traz depoimentos de mestres populares e da comunidade sobre as raízes que resistem às mudanças sociais e culturais. Marambiré teve sua estreia na própria Pacoval e está concorrendo a vagas em vários festivais internacionais de cinema. No Brasil ainda não tem planos concretos para exibições, mas a equipe aguarda convites. A repórter Nayla Georgia entrevistou André dos Santos sobre o documentário Marambiré para o Espaço Experimental.

Pesquisadora estuda quilombolas de Paratibe e sua autodeterminação identitária (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Iany Elizabeth sorrindo para a câmera.
A pesquisa buscou compreender a questão da identidade atribuída e ressignificada no processo de luta e resistência étnica dessa comunidade, localizada na área metropolitana de João Pessoa. Com a pesquisa, a advogada Iany Elizabeth obteve o título de Mestre em Direitos Humanos pela Universidade Federal da Paraíba. Mais informações com a repórter Jéssica Soares.

domingo, 3 de dezembro de 2017

Pesquisa destaca o caráter social das doenças (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Elyonara de Brito, Serioja Mariano e Wuendizy Fortunato abraçados, olhando para a câmera.
O projeto Adoecer e morrer na Paraíba na segunda metade dos oitocentos estuda as doenças e a relação entre práticas e médicos no século XIX. A pesquisa, orientada pela professora Serioja Mariano, leva em conta que as doenças conseguem configurar o modo de vida de uma sociedade. Wuendisy Fortunato e Elyonara de Brito, graduados em História pela UFPB, discutem como as doenças afetam a população com seu traço cultural. Mais informações com a repórter Marina Cabral.

Estudiosa da obra de Villa-Lobos lança dois livros esta semana (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Amarilis de Rebuá.
O lançamento será na próxima quinta-feira, na Igreja de São Francisco, centro da cidade, às 19 horas. Os livros Epigramas Irônicos e Sentimentais e Saudações Musicais são resultado da pesquisa da professora Amarilis de Rebuá para seu doutorado. Ela é docente do Departamento de Educação Musical da UFPB. Mais informações com o repórter Robson Martins.

sábado, 2 de dezembro de 2017

Marta Sanchís: música paraibana com sotaque – I (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Marta Sanchís no palco, segurando um microfone. Ela está olhando para o lado e sorrindo.
A cantora e pianista Marta Sanchís veio à Paraíba cursar mestrado em Etnomusicologia na UFPB. Depois ingressou no Curso Sequencial em Música Popular e, para conclusão deste, realizou o espetáculo Daqui com Sotaque de Lá, em que interpreta compositores paraibanos. Sobre esse trabalho e sua carreira ela foi entrevistada para o Espaço Experimental pela repórter Thaíse Lourenzo.

Marta Sanchís: música paraibana com sotaque – II (ed. 2/12/2017)

Descrição para cegos: foto de Marta Sanchís no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
A cantora e pianista Marta Sanchís veio à Paraíba cursar mestrado em Etnomusicologia na UFPB. Depois ingressou no Curso Sequencial em Música Popular e, para conclusão deste, realizou o espetáculo Daqui com Sotaque de Lá, em que interpreta compositores paraibanos. Sobre esse trabalho e sua carreira ela foi entrevistada para o Espaço Experimental pela repórter Thaíse Lourenzo.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Racismo brasileiro foi criado e legitimado pela ciência (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Anita Canavarro de perfil, falando em um microfone, durante a conferência.  
A afirmação foi da professora Anita Canavarro, na conferência Gênero e Relações Étnico-Raciais. A palestra aconteceu na última quarta, na UFPB, e fez parte da programação do VI Seminário Nacional de Gênero e Práticas Culturais, realizado no Centro de Educação, fruto de parceria entre as universidades federal e estadual da Paraíba. O evento objetivou discutir a conjuntura permanente de violências e intolerâncias para questões de gênero, sexualidades, raças e etnias. A professora é doutora em Ciências pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e atua no ensino das ciências de matriz africana. Ela é ativista do Grupo de Mulheres Negras Dandara no Cerrado e presidenta da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros. Na conferência, Anita Canavarro discorreu sobre as múltiplas dimensões do racismo e das questões de gênero. Afirmou que existe racismo na mídia, no mercado de trabalho e principalmente nas ciências. Mais informações com o repórter Robson Martins.

Processos históricos desvalorizam as culturas indígenas (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Rita de Cássia levemente de perfil, falando. 
O tema foi abordado por Rita de Cássia Melo na oficina Por um Ensino Crítico da História e Cultura Indígena. O evento aconteceu no dia 18, na UFPB, e fez parte da programação do III Veredas do Patrimônio, nas Tramas da Memória. Trata- se de um evento anual voltado para a discussão de heranças e culturas, organizado pelo grupo Patrimônio, Memória e Interatividade da UFPB. Na oficina, a professora discutiu o reconhecimento, a contextualização e a interpretação dessas culturas. Afirmou que na construção da memória social brasileira, desde os primeiros registros textuais e iconográficos europeus, depreciou-se a figura indígena. Mais informações com o repórter Robson Martins.

domingo, 26 de novembro de 2017

Audiência pública debateu a democratização da comunicação (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto da mesa da audiência pública. Da esq. p/ dir.: Land Seixas, Presidente do Sindicato dos Jornalistas, na tribuna; Lúcia Figueiredo, do mesmo sindicato; Gil Sabino, da Associação Paraibana de Imprensa; vereador Marcos Henrique (PT), presidindo os trabalhos; José Godoy, do MPF; deputado Anísio Maia (PT); Luzenira Linhares, Presidenta do PT em João Pessoa; representante das rádios comunitárias e Mabel Dias, do Intervozes.
O evento ocorreu na Câmara Municipal de João Pessoa na segunda-feira, dia 20. Participaram integrantes do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, do Fórum Interinstitucional pelo Direito à Comunicação, sindicalistas, ativistas políticos e sociais, jornalistas, estudantes, professores e representante do Ministério Público Federal. Na ocasião, foi discutida a concentração dos meios de comunicação no Brasil e como isso se tornou uma barreira para o acesso à informação. Mais detalhes com a repórter Thaíse Lourenzo.

Professor afirma que a narrativa jornalística é trama a ser desconstruída (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Fausto Neto no simpósio, falando ao microfone.
Antônio Fausto Neto foi o conferencista da abertura do I Seminário Nacional de Jornalismo Profissional, ocorrido de segunda a quarta-feira no Centro de Comunicação, Turismo e Artes da Universidade Federal da Paraíba. Sua palestra teve como tema O jornalismo como narrativa do presente. O palestrante é doutor em Ciências da Comunicação e da Informação, docente da Universidade do Vale do Rio do Sinos. O evento foi realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Jornalismo do CCTA. Mais informações com o repórter Cephas Castro.

sábado, 25 de novembro de 2017

A pesquisa em Artes Cênicas – I (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Márcia Chiamulera, no estúdio, falando ao microfone, durante a entrevista.
Um evento com a presença de convidados estrangeiros foi realizado no início do mês na Universidade Federal da Paraíba com o objetivo de traçar um panorama das pesquisas em Artes Cênicas na atualidade. Sobre o evento, o Espaço Experimental entrevistou as professoras do Departamento de Artes Cênicas da UFPB Márcia Chiamulera e Juliana Ribeiro, responsáveis pela XIII Jornada de Pesquisa em Artes Cênicas. A produção foi de Gabriela Güllich.

A pesquisa em Artes Cênicas – II (ed. 25/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Juliana Ribeiro falando ao microfone, no estúdio, durante a entrevista.
Um evento com a presença de convidados estrangeiros foi realizado no início do mês na Universidade Federal da Paraíba com o objetivo de traçar um panorama das pesquisas em Artes Cênicas na atualidade. Sobre o evento, o Espaço Experimental entrevistou as professoras do Departamento de Artes Cênicas da UFPB Márcia Chiamulera e Juliana Ribeiro, responsáveis pela XIII Jornada de Pesquisa em Artes Cênicas. A produção foi de Gabriela Güllich.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Prática de linchamento tem relação com descrédito na justiça (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Luziana Ramalho sorrindo para a câmera.
A constatação faz parte da pesquisa realizada pela professora Luziana Ramalho para o seu doutorado. Segundo ela, as ocorrências estão ligadas ao grau de vulnerabilidade das comunidades. As pessoas reagem com mais ou menos violência de acordo com a crença na possibilidade de o criminoso receber ou não punição adequada. Mais informações com a repórter Carolina Jurado.

Conflito territorial em Sumé e Serra Branca motiva pesquisa em Direitos Humanos (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto de Carla Mailde olhando para a câmera.
O estudo é intitulado Territórios em Conflito na Região Cariri Paraibano: análise na perspectiva dos Direitos Humanos. Em 2010, ocorreram mudanças na definição dos limites de municípios daquela área. A partir dessas alterações, algumas comunidades rurais de Sumé passaram a integrar o território administrativo de Serra Branca. Sob uma ótica dos direitos humanos, Carla Mailde examinou as consequências dessas alterações na vida dos moradores das comunidades, trabalho que resultou no seu mestrado em em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas pela Universidade Federal da Paraíba. Mais informações com a repórter Jéssica Xavier.

domingo, 19 de novembro de 2017

Transexuais têm dificuldade de atendimento no sistema público de saúde (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Sandra Almeida sorrindo para a câmera.
A professora Sandra Almeida, do Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva da UFPB, estudou a vivência emocional dessas pessoas e seu acesso aos serviços de saúde na Paraíba. Sua pesquisa constatou que os profissionais da área não estão sendo preparados para lidar com as questões de pessoas transexuais. Mais informações com o repórter Luan Alexandre.

Livro analisa exposição da intimidade nas mídias digitais (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Francisco Vieira sentando, tendo diante de si uma pilha de exemplares do seu livro.
O estudo é de autoria do professor Francisco Vieira da Silva, que leciona Linguística e Língua Portuguesa na Universidade Federal Rural do Semiárido. O livro, intitulado Egos em evidência: a intimidade na era das mídias digitais é fruto da tese de doutorado em Linguística de Francisco. Nela, o pesquisador selecionou como objeto de estudo os sites Ego e Paparazzo, e alguns perfis pessoais do Instagram. Seu objetivo foi analisar a intimidade do sujeito celebridade em tempos de hiperexposição midiática. Mais informações com o repórter Douglas de Oliveira.

Jornalista estreia na literatura com romance de teor psicológico (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Renata Escarião autografando um exemplar do seu livro. Atrás dela, vê-se um painel com a marca do Agosto das Letras. (foto de Marcelo Soares)
Em agosto, Renata Escarião lançou Sandálias Vermelhas, uma das obras contempladas pelo Prêmio Literário José Américo de Almeida. O romance é narrado em primeira pessoa pela protagonista Alice, que leva o leitor a participar de suas reflexões pessoais. Além de jornalista, Renata é professora e coordenadora do curso de Comunicação da Faculdade Maurício de Nassau em João Pessoa. Mais informações com a repórter Gabriela Güllich.

sábado, 18 de novembro de 2017

Desprincesamento – I (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Glória Rabay no estúdio, durante a entrevista.
Neste sábado, o Espaço Experimental recebeu as professoras Glória Rabay e Zulmira Nóbrega, do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba. Elas foram convidadas para falar sobre desprincesamento, algo como o feminismo na infância, que permite as meninas se livrarem dos clichês impostos pelos padrões da sociedade conservadora e reproduzidos pelos meios de comunicação de massa. A produção foi de Gabriela Güllich, Marina Cabral e Robson Martins.

Desprincesamento – II (ed. 18/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Zulmira Nóbrega no estúdio, durante a entrevista.
Neste sábado, o Espaço Experimental recebeu as professoras Glória Rabay e Zulmira Nóbrega, do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba. Elas foram convidadas para falar sobre desprincesamento, algo como o feminismo na infância, que permite as meninas se livrarem dos clichês impostos pelos padrões da sociedade conservadora e reproduzidos pelos meios de comunicação de massa. A produção foi de Gabriela Güllich, Marina Cabral e Robson Martins.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Agressões a animais são alvo de estudos em saúde mental (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto de Juliana Toledo e José Brasileiro olhando para a câmera.
Numa perspectiva acadêmica, o assunto é estudado pela professora Juliana Toledo, da área de Psicologia Jurídica do Curso de Direito da UFPB. Já o psiquiatra José Brasileiro vivencia na prática, atuando no Instituto de Psiquiatria Forense da Paraíba. Embora seja banalizada no senso comum, a violência contra animais causa mobilização de ambientalistas e órgãos de defesa dos animais. Enquadram-se como maus tratos tanto a agressão física quanto a negligência e o abandono. Casos dessa natureza são investigados sob a ótica do Direito Animal. Mais informações com o repórter Douglas de Oliveira.

Pesquisa analisa congruência da personalidade de cães e donos (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Valdiney Gouveia olhando para a câmera.
O trabalho coordenado pelo professor Valdiney Gouveia objetivou identificar a correspondência comportamental entre seres humanos e seus cães. A coleta de dados foi feita no ano de 2016, através da internet, e envolveu 216 participantes. A relação homem-cão, apesar de existir há milhares de anos, não dispõe de estudos aprofundados, em especial no nosso país. A repórter Luciana Duarte entrevistou Valdiney Gouveia para o Espaço Experimental. Ele é professor de Psicologia Social na UFPB e autor da Teoria Funcionalista dos Valores Humanos.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Debate abordou relação da violência com o tráfico de drogas (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Vanderlan Francisco sorrindo para a câmera. Atrás dele há uma estante repleta de livros.
O evento foi iniciativa do Grupo de Estudos Avaliação, Políticas Públicas e Práxis em Gestão Pública da UFPB. O debate teve como tema Segurança Pública: indicadores, direitos humanos e práxis em políticas públicas. O tema foi abordado pela professora do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da UFPB Luziana Ramalho Ribeiro, e pelo professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Campina Grande Vanderlan Francisco da Silva. A repórter Jéssica Xavier entrevistou o professor Vanderlan para o Espaço Experimental.

Professor ressalta importância acadêmica na formação do jornalista (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Ruy Sardinha falando ao microfone em uma mesa de evento acadêmico.
Para Ruy Sardinha, doutor em Filosofia pela USP, a vivência acadêmica complementa a formação do jornalista. Segundo ele, o pensamento crítico estimulado pela academia é fundamental para o exercício da profissão. A repórter Gabriela Güllich entrevistou o professor Ruy Sardinha para o Espaço Experimental. Ele é vice-presidente da Socicom, Confederação Brasileira das Entidades Acadêmicas e Científicas da Comunicação.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Jornalismo multimídia inova ampliando experiências sensoriais (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Kati Caetano olhando para a câmera.
Segundo Kati Caetano, professora da Universidade Tuiuti, do Paraná, as inovações no jornalismo partem de apropriações dos modelos do jornalismo tradicional. Quando as práticas são recontextualizadas, a composição final torna-se uma inovação. Um conteúdo jornalístico multimídia proporciona descobertas diferentes através de vídeos, textos e ilustrações. A repórter Marina Cabral conversou sobre o assunto com Kati Caetano. Ela é coordenadora de um grupo de pesquisa sobre práticas inovadoras e criativas no jornalismo.

domingo, 12 de novembro de 2017

Contraceptivos de longa duração são mais eficazes para adolescentes (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Gilka Paiva sorrindo para a câmera.
Os métodos contraceptivos de curta duração como, por exemplo, a pílula, demandam uma rotina diária para que seja eficiente. Na UFPB está sendo realizada a pesquisa Métodos Contraceptivos de Longa Duração: uma opção segura e viável para adolescentes. Ela é coordenada pela professora Gilka Paiva, do Departamento de Medicina Interna. A finalidade é promover a contracepção segura na adolescência. Mais informações com a repórter Maria Clara Lima.

sábado, 11 de novembro de 2017

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares – I (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto da médica Bruna Ávila no estúdio, durante a entrevista.
Constituída com a finalidade de atuar em defesa da universalização do atendimento à saúde, com ênfase no SUS, a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares foi criada em 2015 agregando profissionais da medicina comprometidos com o direito humano a políticas públicas eficientes de assistência à saúde. Para falar sobre a rede, o Espaço Experimental recebeu a médica Bruna Ávila, integrante do movimento na Paraíba. A produção foi de Danielle Mendes, Jéssica Xavier e Thaíse Lourenzo.

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares – II (ed. 11/11/2017)

Descrição para cegos: foto da médica Bruna Ávila no estúdio, falando ao microfone.
Constituída com a finalidade de atuar em defesa da universalização do atendimento à saúde, com ênfase no SUS, a Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares foi criada em 2015 agregando profissionais da medicina comprometidos com o direito humano a políticas públicas eficientes de assistência à saúde. Para falar sobre a rede, o Espaço Experimental recebeu a médica Bruna Ávila, integrante do movimento na Paraíba. A produção foi de Danielle Mendes, Jéssica Xavier e Thaíse Lourenzo.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Seminário oficializou criação do Findac-PB - fórum pelo direito à comunicação (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto de Bráulio Araújo falando ao microfone durante a palestra. Atrás dele há um painel com a reprodução, repetidas vezes, da sigla do Ministério Público Federal em letras grandes e o nome do órgão embaixo, em letras pequenas. 

O evento aconteceu integrado ao Outubro pela Democratização da Comunicação, uma série de atividades promovidas ao longo do mês. A oficialização do Fórum Interinstitucional pelo Direito à Comunicação na Paraíba, o Findac, ocorreu em um seminário realizado nos dias 30 e 31. A palestra de abertura foi feita pelo advogado e integrante do Intervozes em São Paulo, Bráulio Araújo. Ele abordou os mecanismos de participação social ao direito à comunicação. Fez parte da mesa também o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB da Paraíba e coordenador do Findac-PB, Wigne Nadjare. Da programação do seminário constaram ainda rodas de diálogo sobre representação de crianças, adolescentes e mulheres na mídia. Outro tema abordado foi a exposição de vídeos íntimos nos meios de comunicação. Fez parte também das atividades a mesa sobre a concentração das mídias no Brasil e o direito à comunicação. A repórter Jéssica Xavier entrevistou Bráulio Araújo para o Espaço Experimental.

Professora destaca importância do jornalismo engajado para a democracia (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Cláudia Nonato sorrindo para a câmera.
Segundo Cláudia Nonato, o jornalismo engajado vem manifestando-se principalmente através das mídias alternativas e independentes. Para ela, esses veículos exercem papel importante na conquista de um ambiente democrático. A repórter Gabriela Güllich entrevistou a professora Cláudia Nonato. Ela é Doutora em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo e dirigente da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Encontro internacional discutiu interdisciplinaridade nas ciências humanas e sociais (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Paulo Henrique Martins sorrindo para a câmera. Atrás dele veem-se algumas cadeiras do auditório.
O VI Coninter - Congresso Internacional Interdisciplinar em Sociais e Humanidades aconteceu de quarta-feira a sábado na UFPB, tendo como tema Epistemologias não coloniais e os desafios da construção do conhecimento interdisciplinar. O Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos, Cidadania e Políticas Públicas da UFPB organizou o evento. Com foco nas áreas sociais e humanas, o Congresso reiterou a socialização dos conhecimentos interdisciplinares desenvolvidos pelas pesquisas. Através de minicursos, mesas temáticas e apresentações de trabalhos, o evento discutiu temas como educação, direitos humanos e sexualidade. Já na conferência de abertura, os caminhos do conhecimento e as diversas maneiras de se perceber o mundo ganharam destaque. A repórter Luíza Araújo entrevistou o professor Paulo Henrique Martins para o Espaço Experimental. Ele é doutor em Sociologia na Universidade de Paris I e foi o conferencista na abertura do Congresso.

Debate abordou reflexos da Reforma Protestante no Brasil (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Carlos André olhando para a frente.
O evento ocorreu na última terça-feira, quando a Reforma Protestante completava 500 anos. A iniciativa foi do Grupo de Pesquisa Videlicet Religiões, do Centro de Educação da UFPB. A Reforma teve início em 1517. Nesse ano, Martinho Lutero afixou na porta de um templo católico, na Alemanha, as 95 teses que criticavam as práticas da Igreja. A mesa contou com a participação dos professores Marinilson Barbosa da Silva e Carlos André Cavalcanti, ambos do Programa de Pós-Graduação em Ciências das Religiões da UFPB; do professor Joanildo Burity, do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco; e do pastor e presidente da Fundação Cidade Viva, Sérgio Queiroz. A repórter Jéssica Xavier entrevistou o professor Carlos André para o Espaço Experimental.

domingo, 5 de novembro de 2017

Encontro abordou a influência midiática nas identidades religiosas (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Júlio César falando em um microfone durante a sua palestra.
Nas palestras, foi demonstrado que, desde a antiguidade, o texto escrito e as histórias que eram passadas por gerações influenciavam nas identidades. Hoje, a diversidade de mídias tornou o processo mais eficiente. O evento ocorreu no dia 27 de outubro, no Centro de Comunicação, Turismo e Artes da UFPB. Ramon Nascimento, professor do Departamento de Jornalismo, mediou a mesa de abertura, sobre o uso da mídia pela religião e seus impactos sociais. A palestra principal foi ministrada pelo professor Júlio César Adam, da Faculdade Superior de Teologia no Rio Grande do Sul, doutor em Teologia pela Universidade de Hamburgo, na Alemanha. O repórter Robson Martins entrevistou o professor Júlio César para o Espaço Experimental.

sábado, 4 de novembro de 2017

Tráfico de crianças para fins de exploração sexual na Paraíba – I (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Ana Patrícia Gama no estúdio, durante a entrevista.
Embora não receba a necessária visibilidade, o tráfico de crianças com o objetivo de atender ao mercado de sexo existe na Paraíba. A professora do curso de Direito da Universidade Maurício de Nassau Ana Patrícia Gama pesquisou o assunto e como resultado elaborou sua dissertação para obter o título de Mestra em Direitos Humanos, Políticas Públicas e Cidadania na Universidade Federal da Paraíba. Sobre o assunto ela foi entrevistada pelo Espaço Experimental. A produção foi de Jéssica Soares e Luciana Duarte.

Tráfico de crianças para fins de exploração sexual na Paraíba – II (ed. 4/11/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Ana Patrícia Gama no estúdio, durante a entrevista.
Embora não receba a necessária visibilidade, o tráfico de crianças com o objetivo de atender ao mercado de sexo existe na Paraíba. A professora do curso de Direito da Universidade Maurício de Nassau Ana Patrícia Gama pesquisou o assunto e como resultado elaborou sua dissertação para obter o título de Mestra em Direitos Humanos, Políticas Públicas e Cidadania na Universidade Federal da Paraíba. Sobre o assunto ela foi entrevistada pelo Espaço Experimental. A produção foi de Jéssica Soares e Luciana Duarte.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Livro analisa relação de parlamentares com propriedade de rádios e TVs (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: ilustração feita com montagem da capa do livro sobre foto de um tumulto no plenário da Câmara dos Deputados no dia da votação do afastamento de Dilma. Na imagem veem-se muitos parlamentares com braços levantados, alguns com bandeiras e outros com placas em que se lê "Tchau querida". Na capa do livro constam o nome da obra e das autoras, sem ilustrações, apenas 2 quadrados onde estão o subtítulo e a autoria. 

O título da obra é inspirado nos discursos dos deputados autorizando o afastamento da ex-presidenta Dilma Rousseff, em 17 de abril do ano passado. Associa as justificativas dos políticos aos vínculos de suas famílias com a propriedade dos meios de comunicação de massa. Sempre foi pela Família: mídias e políticas no Brasil, foi escrito por Janaíne Aires e Suzy dos Santos, ligadas ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade Federal Rio de Janeiro. Janaíne como doutoranda e Suzy como professora. Mais informações com o repórter Luan Alexandre.

domingo, 29 de outubro de 2017

Democratização das comunicações é tema de eventos em João Pessoa (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: foto de Wigne Nadjare sorrindo para a câmera. 
Seguindo calendário nacional de debates sobre o tema, a capital paraibana sedia várias atividades que iniciaram sexta-feira e seguem até esta terça. Durante os eventos, ocorrerá o lançamento oficial do Fórum Interinstitucional pelo Direito à Comunicação, o Findac. Uma oficina de mídias digitais promovida pela CUT marcou o início dos eventos na sexta, no Sindicato dos Jornalistas da Paraíba. No sábado aconteceu uma oficina sobre mídia e violações de direitos humanos no Centro da Juventude, em Bayeux. Os eventos se encerrarão com um seminário que ocorrerá no auditório do Ministério Público Federal, segunda e terça-feira. A palestra de abertura ocorrerá às 19 horas desta segunda e contará com participação de representante do Intervozes de São Paulo. Também comporão a mesa o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-Paraíba, Wigne Nadjare e a representante do Intervozes no Findac, Mabel Dias. As palestras da terça-feira abordarão temas como mulher, criança e adolescente e a forma como são expostos na mídia. A repórter Luciana Duarte entrevistou o Coordenador do Findac, Wigne Nadjare.

Evento debateu iniciação cientifica nas pesquisas odontológicas (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: foto da solenidade de abertura dos eventos mostra 12 pessoas na mesa montada no palco de um auditório. Atrás delas, slides mostram os nomes e símbolos do evento e dos órgãos envolvidos. 
A XXI Mostra de Iniciação Científica em Odontologia (XXI Mico) ocorreu de 20 a 22 deste mês. O Centro de Ciências da Saúde da UFPB sediou o evento, que foi realizado em parceria com o IV Encontro de Pós-Graduação em Odontologia. A Mostra reuniu pesquisadores de todo Brasil para discussões sobre as prevenções e inovações em saúde odontológica. O Encontro da Pós-Graduação focou em temas como regeneração, erosão e o uso de produtos naturais em Odontologia. A abertura contou com os professores André Ulisses Dantas Batista, Yuri Wanderley Cavalcanti e a Presidenta da Mostra, Tainá Nascimento Falcão. O repórter Robson Martins entrevistou Tainá. Ela é estudante da Graduação em Odontologia da UFPB.

Guegué Medeiros mostra que solavanco também é música no Nordeste (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: foto de Guegué Medeiros em um jardim, tocando bateria.
Intitulado Catabí, o projeto instrumental do músico une os gêneros nordestinos a uma linguagem universal e aberta a improvisações. O CD busca a afirmação da música regional e que as pessoas tenham mais atenção e reflitam sobre os aspectos culturais e políticos da sociedade. Natural de João Pessoa, Guegué vive há mais de dez anos em São Paulo. Ele é formado em Música na Faculdade Paulista de Artes e, além de lecionar na área, realiza apresentações artísticas. Mais informações com a repórter Luíza Araújo.

sábado, 28 de outubro de 2017

Rieg, a banda – I (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: foto de Rieg Rodig falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental levou ao ar uma entrevista com Rieg Rodig e Daniel Jesi, dupla que pilotando sintetizadores, samplers e baixo, experimenta linguagens sonoras e cênicas, às vezes incorporando outros músicos às performances. Eles foram entrevistados por Duda Campos.

Rieg, a banda – II (ed. 28/10/2017)

Descrição para cegos: foto de Daniel Jesi no estúdio, falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental levou ao ar uma entrevista com Rieg Rodig e Daniel Jesi, dupla que pilotando sintetizadores, samplers e baixo, experimenta linguagens sonoras e cênicas, às vezes incorporando outros músicos às performances. Eles foram entrevistados por Duda Campos.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Evento nacional evidenciou os novos rumos da crítica de cinema (ed. 21/10/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Agda Aquino sorrindo para a câmera.
O 21º Encontro da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine) aconteceu de 17 a 20 deste mês em João Pessoa tendo como tema O Estado da Crítica. O evento reuniu pesquisadores de Cinema de todo Brasil para discussões sobre estética, produção regional e nacional. A repórter Luíza Araújo entrevistou a professora Agda Aquino para o Espaço Experimental. Ela é docente do Departamento de Comunicação na UFPB e participou da organização do evento.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Pesquisador ressalta necessidade do resgate da cidadania no sistema prisional (ed. 21/10/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Gustavo Batista olhando para a câmera. Ao fundo, veem-se parte do jardim e do hall do Centro de Ciências Jurídicas.
O II Congresso de Educação em Direitos Humanos ocorreu nos dias 16 e 17, na Universidade Federal da Paraíba. O evento teve como foco experiências históricas, pedagógicas e de formação em direitos humanos. Durante o Congresso ocorreu a apresentação do Grupo de Trabalho Encarceramento e Educação Prisional. É integrado pelos professores da UFPB Gustavo Batista, Luciano Nascimento Silva, Mazukyevicz Silva e Rômulo Palitot. O repórter Cephas Castro conversou com Gustavo Batista. Ele é professor de Direito e vice-coordenador do Programa de Pós-graduação em Direitos Humanos da UFPB.

Seminário debateu direitos e pluralidade de grupos étnicos (ed. 21/10/2017)

Descrição para cegos: cartaz do II Congresso de Educação em Direitos Humanos. Consiste do nome do evento escrito sobre uma base com manchas esparsas de várias cores.
A discussão integrou o II Congresso de Educação em Direitos Humanos na UFPB e teve como foco o direito de comunidades tradicionais. No seminário, foram ressaltados os direitos de indígenas, quilombolas e povos ciganos. Compuseram a mesa Janine Marta Coelho, Fábio Mura e Maria Creusa de Araújo Borges, docentes da UFPB, José Gilberto de Souza, da Universidade Estadual Paulista, além do Vice Procurador Geral da República Luciano Mariz Maia. O repórter Cephas Castro entrevistou Fábio Mura. Ele é antropólogo e professor de Antropologia na UFPB.