segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Pesquisa avalia a eficácia do site Reclame Aqui na resolução de conflitos (ed. 14/1/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Lorena Freitas sorrindo para a câmera. Atrás dela, vê-se uma estante com livros.

O portal é utilizado para resolver demandas entre consumidores e empresas, a partir de manifestações de insatisfação e denúncias ali divulgadas. O estudo, orientado pela professora de Direito Lorena de Melo Freitas, mostrou a efetividade do site na solução desses conflitos consumeristas. Além disso, expôs algumas deficiências do sistema judiciário tradicional e o motivo que leva à procura dos meios extrajudiciais. Mais detalhes com a repórter Carmem Ferreira.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Projeto resgata história de militantes que combateram a ditadura na Paraíba (ed. 14/1/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Paulo Giovani olhando para a câmera.
A pesquisa estudou as ações de determinados segmentos da sociedade civil durante os anos de chumbo na Paraíba. O estudo focou em grupos de estudantes, de trabalhadores e na igreja, que atuaram na oposição ao regime militar. O trabalho foi coordenado pelo professor do Departamento de História da UFPB Paulo Giovani. Mais informações com o repórter Lucas Campos.


sábado, 14 de janeiro de 2017

Direitos dos animais voltam a ser discutidos após polêmica sobre vaquejadas (ed. 14/1/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Jailson Rocha segurando um microfone com a mão direita e gesticulando com a esquerda.

Esses direitos estão previstos inclusive na Constituição Federal, que no capítulo sobre meio ambiente aborda os princípios de proteção à fauna. No final do ano passado, o Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional uma lei do estado do Ceará que regulamentava as vaquejadas. De acordo com o professor de Bioética Jailson Rocha, a decisão do STF foi acertada. Segundo ele, esses eventos vão contra o artigo 225 da Constituição Federal, que veda práticas que submetem os animais a crueldade. Mais detalhes com a repórter Lucélia Pereira.


terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Ausência de políticas sociais precariza condições de trabalho de marisqueiras (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Emanuel Silva sentado, sorrindo para a câmera. Atrás dele há uma estante com caixas arquivo.

Uma análise do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Política Social da UFPB identificou a situação dessas pescadoras no estado. O trabalho buscou dar visibilidade ao conhecimento local das mulheres marisqueiras do estuário do Rio Paraíba. Historicamente, as ações governamentais para o setor pesqueiro desconsideraram as necessidades dos trabalhadores artesanais. Essas políticas também não reconhecem as atividades realizadas principalmente por mulheres no regime de economia familiar. A pesquisa intitulada Proteção social e território na pesca artesanal do litoral paraibano foi coordenada pelo professor do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social Emanuel Silva. Mais detalhes com a repórter Marcella Machado.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Pesquisa detecta aumento na incidência de doença rara em população infantil (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Maurus Marques sorrindo para a câmera. Atrás dele, vê-se um monitor de computador onde aparece a imagem de uma radiografia.

Trata-se da impressão basilar, uma má-formação óssea que projeta a coluna cervical para dentro da fossa posterior. Essa projeção comprime as estruturas internas do crânio, levando a um quadro clínico. A patologia rara, que é mais frequente na região Nordeste do Brasil, atinge predominantemente a população na faixa etária de 30 a 50 anos. A pesquisa coordenada pelo professor e neurocirurgião Maurus Marques de Holanda constatou aumento dos casos em crianças. Um estudo observacional constatou que de 70 pacientes operados em João Pessoa, 8,6 % são crianças. Mais detalhes com a repórter Érika Soares.

Observatório avalia cobertura da imprensa a fenômenos como a seca (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Sandra Raquew olhando para a câmera.

A ideia é monitorar os temas da seca e do semiárido na mídia impressa paraibana através do Observatório do Jornalismo no Semiárido. Já foram levantados dados para análise nos jornais A União, Correio da Paraíba e Jornal da Paraíba. O período escolhido para essa etapa foi do último trimestre de 2014 ao primeiro trimestre de 2015. A iniciativa é coordenada pela professora do Departamento de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba Sandra Raquew Azevêdo. O repórter Danilo Monteiro conversou com Sandra, que trouxe mais detalhes sobre a pesquisa.



domingo, 8 de janeiro de 2017

Golpes de Estado na América Latina são reação a avanços civilizatórios (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: foto de Manoel Morais sorrindo para a câmera. Atrás dele, veem-se cadeiras vazias de um auditório. No fundo, à sua direita, há um palco onde uma mesa está sendo preparada por uma mulher.

Segundo o ativista de Direitos Humanos Manoel Severino Morais de Almeida, o Brasil foi a mais recente nação vítima desses ataques à democracia. Ele se refere à destituição de Dilma Rousseff sem que, contra a ex-presidenta, houvesse fato concreto que justificasse o impeachment. Manoel Morais é membro da Comissão da Verdade do Estado de Pernambuco e ex-integrante da Comissão de Anistia. Ele foi entrevistado pela repórter Elidiane Ferreira sobre as perspectivas da democracia na América Latina.


Leandro Gomes de Barros e o cordel brasileiro – I (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: montagem reunindo uma foto antiga de Leandro Gomes de Barros e a capa de um dos seus cordéis, "A Batalha de Olivedos com Ferrabrás", em cuja capa, além do título, nome do autor e a imagem de um cavaleiro medieval sobre o cavalo, lê-se ainda "Preço 18.000 réis - à venda na Rua do Alecrim 58 E - Recife 1913"

O Rei da Poesia Brasileira – assim Leandro Gomes de Barros foi chamado por Carlos Drummond de Andrade, justamente aquele que é considerado o maior poeta do Brasil. O fato é que Leandro, paraibano da cidade de Pombal, como autor e editor, fincou profundamente o cordel na cultura brasileira. Sobre ele, o Espaço Experimental entrevistou o pesquisador Irani Medeiros, autor do livro No Reino da Poesia Sertaneja, cuja terceira edição foi lançada ano passado, quando se comemorava o sesquicentenário do cordelista. A produção foi de Diana Araújo, Felipe Lima e Luana Silva.


Leandro Gomes de Barros e o cordel brasileiro – II (ed. 7/1/2017)

Descrição para cegos: na foto captada no estúdio, Irani Medeiros aparece de perfil, falando ao microfone.

O Rei da Poesia Brasileira – assim Leandro Gomes de Barros foi chamado por Carlos Drummond de Andrade, justamente aquele que é considerado o maior poeta do Brasil. O fato é que Leandro, paraibano da cidade de Pombal, como autor e editor, fincou profundamente o cordel na cultura brasileira. Sobre ele, o Espaço Experimental entrevistou o pesquisador Irani Medeiros, autor do livro No Reino da Poesia Sertaneja, cuja terceira edição foi lançada ano passado, quando se comemorava o sesquicentenário do cordelista. A produção foi de Diana Araújo, Felipe Lima e Luana Silva.

domingo, 1 de janeiro de 2017

A Esquerda e a Direita na política – I (ed. 31/12/2016)

Descrição para cegos: foto mostra os professores Rodrigo Freire e José Artigas no estúdio, tendo diante deles os microfones. Artigas está falando, enquanto Rodrigo anota algo. Ao fundo, vê-se uma aluna sentada.

Na última edição de 2016, o Espaço Experimental convidou os professores José Henrique Artigas e Rodrigo Freire para um painel sobre a formação da esquerda e a direita na política, como esses conceitos evoluíram e seus reflexos na economia e nas questões sociais. Os convidados são docentes do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal da Paraíba. Produção de Chrisley Wellen, Lucélia Pereira e Marcella Machado.

A Esquerda e a Direita na política – II (ed. 31/12/2016)

Descrição para cegos: foto do professor José Artigas, no estúdio, falando ao microfone.

Na última edição de 2016, o Espaço Experimental convidou os professores José Henrique Artigas e Rodrigo Freire para um painel sobre a formação da esquerda e a direita na política, como esses conceitos evoluíram e seus reflexos na economia e nas questões sociais. Os convidados são docentes do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal da Paraíba. Produção de Chrisley Wellen, Lucélia Pereira e Marcella Machado.

A Esquerda e a Direita na política – III (ed. 31/12/2016)

Descrição para cegos: foto do professor Rodrigo Freire falando ao microfone, no estúdio.

Na última edição de 2016, o Espaço Experimental convidou os professores José Henrique Artigas e Rodrigo Freire para um painel sobre a formação da esquerda e a direita na política, como esses conceitos evoluíram e seus reflexos na economia e nas questões sociais. Os convidados são docentes do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal da Paraíba. Produção de Chrisley Wellen, Lucélia Pereira e Marcella Machado.


A Esquerda e a Direita na política – IV (ed. 31/12/2016)

Descrição para cegos: foto captada através do vidro da cabine de controle do estúdio, Nela aparecem os professores Rodrigo Freire e José Henrique Artigas sentados à mesa usada para entrevistas e locução. Diante deles veem-se os microfones e seus respectivos suportes.

Na última edição de 2016, o Espaço Experimental convidou os professores José Henrique Artigas e Rodrigo Freire para um painel sobre a formação da esquerda e a direita na política, como esses conceitos evoluíram e seus reflexos na economia e nas questões sociais. Os convidados são docentes do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal da Paraíba. Produção de Chrisley Wellen, Lucélia Pereira e Marcella Machado.


terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Professor destaca papel da Fundação Lelio Basso para a democracia (ed. 24/12/2016)

Descrição para cegos: foto do professor Tullo Vigevani olhando para a câmera. Atrás dele veem-se uma rampa e uma passarela do Centro de Ciências Jurídicas da UFPB, algumas carteiras e lixeiras.

Tullo Vigevani é italiano e leciona na Universidade Estadual Paulista, a Unesp. Na década de 1970, atuou na Fundação Lelio e Lisli Basso, sediada em Roma, dedicada à defesa dos Direitos Humanos. Desde a sua criação, em 1973, a instituição tem aproximação com o Brasil. Foi dela a inciativa de criar o Tribunal Russell II, que condenou a ditadura brasileira e, posteriormente, de outros países latino-americanos. O professor de Ciência Política da Unesp Tullo Vigevani foi entrevistado pela repórter Aracely Coutinho para o Espaço Experimental.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Reforma da educação abriu espaço para trabalho feminino fora de casa (ed. 24/12/2016)

Descrição para cegos: foto do professor Matheus da Cruz sorrindo para a câmera. Ele está diante de uma parede onde há dois quadros pendurados com fotos cujos conteúdos não são distinguíveis.

Uma pesquisa analisou os relatórios dos presidentes da província da Paraíba produzidos entre os anos de 1850 e 1890. Ela foi realizada pelo professor Matheus da Cruz, do Departamento de Ciência das Religiões da UFPB. Seu estudo mostrou que esses dirigentes defendiam reforma do magistério para que as mulheres ocupassem esses cargos públicos. Essa visão foi ampliada através da reforma da educação pública na Paraíba na metade do século XIX. Mais informações com a repórter Mikaella Pedrosa.