terça-feira, 19 de junho de 2018

Análise sobre mobilidade verde classificou ciclovias pessoenses (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Pablo Brilhante olhando para a câmera.
O estudo intitulado A qualidade do deslocamento por bicicletas em áreas urbanas foi orientado pelo professor Pablo Brilhante, da UFPB. Teve como objetivo avaliar as redes cicloviárias da cidade de João Pessoa e a qualidade do serviço para os ciclistas. Foram observadas a avenida Hílton Souto Maior, no bairro Mangabeira; a avenida Tancredo Neves, em Manaíra; além da orla e dos bairros Altiplano e Valentina. Segundo o estudo, a avaliação das ciclovias da cidade mostrou que a qualidade é regular. A repórter Beatriz Lauria entrevistou Pablo Brilhante, professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental.

domingo, 17 de junho de 2018

Curso de juristas populares capacita lideranças comunitárias na Paraíba (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto de Marcina Pessoa sorrindo para a câmera. 
É oferecido a lideranças de associações, comunidades e movimentos sociais dando oportunidade de conhecerem melhor seus direitos de forma gratuita. O curso faz parte do projeto Conhecendo o Direito e Construindo a Cidadania. Promovido pela Fundação de Defesa dos Direitos Humanos Margarida Maria Alves, o curso existe há quase 20 anos e já formou mais de 400 lideranças comunitárias. Direito Civil e Direito do Consumidor são alguns dos eixos temáticos trabalhados durante um ano de curso, que ocorre nos fins de semana. O repórter Anderson Santana entrevistou Marcina Pessoa sobre a iniciativa. Ela é coordenadora de projetos da Fundação de Defesa dos Direitos Humanos Margarida Maria Alves.

UFPB sedia Colóquio de Estudos Inquisitoriais esta semana (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Carlos André Cavalcanti olhando para a câmera.
Realizado pelo Programa de Pós-Graduação em História em parceria com o Grupo de Pesquisa Officium, o evento acontece segunda e terça-feira. Intitula-se II Colóquio Sônia Siqueira de Estudos Inquisitoriais, em referência à fundadora da historiografia moderna sobre a Inquisição. O colóquio será realizado nos turnos da manhã e tarde no Auditório 1 da Central de Aulas do Campus de João Pessoa, com acesso gratuito. Contará com a presença da homenageada Sônia Apparecida de Siqueira, que leciona na Universidade de São Paulo e colabora com projetos da UFPB. A repórter Marcela Mayara entrevistou o professor Carlos André Cavalcanti, coordenador do evento. Ele é docente do Departamento de Ciências da Religiões e da Pós-Graduação em História.

Pacientes oncológicos recebem assistência multidisciplinar em projeto da UFPB (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Heloísa Veloso olhando para a câmera.
Criado em 2008, o projeto Endodontia e Reabilitação Oral, conhecido como ERO, atende pessoas com câncer no Hospital Universitário. É coordenado pela professora Heloisa Veloso, do Departamento de Odontologia da UFPB. Sete cursos de graduação fazem parte do ERO: Odontologia, Enfermagem, Nutrição, Psicologia, Pedagogia, Direito e Ciências Contábeis. Eles realizam atividades que beneficiam a mente e o corpo dos pacientes no combate ao câncer. O repórter Allan Nunes entrevistou a professora Heloísa Veloso para o Espaço Experimental.

sábado, 16 de junho de 2018

O Nesc e a universalização da saúde coletiva – I (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Lenilma Bento no estúdio, falando ao microfone durante a entrevista.
A Constituição de 1988, em sintonia com os Direitos Humanos, demandou a universalização do atendimento à saúde. Isso resultou na criação do SUS, o Sistema Único de Saúde e, com ele, o incremento de pesquisas visando aperfeiçoar o sistema. Junto com a Constituição e o SUS, o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Paraíba está comemorando 30 anos. Para falar sobre o papel do Nesc e das pesquisas voltadas para saúde coletiva, o Espaço Experimental apresentou neste sábado uma entrevista com a professora Lenilma Bento, vice coordenadora do núcleo. A produção foi de Cynthia Silva, Mariana Lira e Raquel Pimentel.



O Nesc e a universalização da saúde coletiva – II (ed. 16/6/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Lenilma Bento no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
A Constituição de 1988, em sintonia com os Direitos Humanos, demandou a universalização do atendimento à saúde. Isso resultou na criação do SUS, o Sistema Único de Saúde e, com ele, o incremento de pesquisas visando aperfeiçoar o sistema. Junto com a Constituição e o SUS, o Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal da Paraíba está comemorando 30 anos. Para falar sobre o papel do Nesc e das pesquisas voltadas para saúde coletiva, o Espaço Experimental apresentou neste sábado uma entrevista com a professora Lenilma Bento, vice coordenadora do núcleo. A produção foi de Cynthia Silva, Mariana Lira e Raquel Pimentel.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Estudo investigou a origem e o combate à criminalidade na América do Sul (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Marcos Allan sorrindo para a câmera.
A pesquisa foi orientada pelo professor Marcos Alan Ferreira, do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba. Intitulada O desafio da paz na América do Sul, ela teve como objetivo levantar informações sobre a presença aguda da criminalidade na região. Segundo a análise, questões políticas e socioeconômicas levam a América do Sul ao segundo lugar em número de homicídios. Também foi pesquisado o papel do Conselho da União das Nações Sul-Americanas, a Unasul, no combate ao crime organizado que aflige o subcontinente. Mais detalhes com a repórter Beatriz Lauria.

domingo, 10 de junho de 2018

Estudo analisa violência retratada na literatura infantil (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Hermano de França olhando para a câmera.
O trabalho de avaliação de contos infantis europeus contou com a participação direta de alunos do Ensino Médio. A iniciativa foi do professor Hermano de França, do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da UFPB. Foram analisadas obras de diversos autores europeus. Alguns dos contos analisados integram o livro Histórias de Fadas, do escritor inglês Oscar Wilde. O repórter Ytalo Rodrigues entrevistou o professor Hermano de França para o Espaço Experimental.

Geoparque Cariri leva educação e turismo ao semiárido e estimula pesquisas (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Leonardo Figueiredo sorrindo para a câmera.
O projeto é coordenado pelo professor Leonardo Figueiredo, do Departamento de Engenharia e Meio Ambiente da UFPB. Vem sendo desenvolvido nos municípios de Bela Vista, Boqueirão, Cabaceiras e São João do Cariri. As ações são realizadas através do turismo, educação e economia a partir dos elementos da geodiversidade. Mais detalhes com a repórter Jaqueline Lima.

Escolas quilombolas usam teatro de bonecos como recurso pedagógico (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Fillipe Marini sorrindo para a câmera.
A atividade envolve tanto a construção dos personagens, como o uso destes para transmitir conteúdos. O projeto Teatro de Bonecos: levando a educação ambiental em escolas do campo é uma iniciativa do Núcleo de Extensão em Desenvolvimento Territorial e Agroecologia da UFPB, o Nedet. É oferecida aos docentes das escolas Professora Lina Rodrigues e José Albino Pimentel, na comunidade quilombola de Gurugi. O repórter Anderson Santana entrevistou o professor Fillipe Marini sobre o projeto. Ele coordena o Nedet.

sábado, 9 de junho de 2018

Economia, geopolítica e guerra na Síria – I (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Augusto Teixeira, no estúdio, durante a entrevista.
Neste sábado, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista com o professor Augusto Teixeira, do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba. Em conversa com a repórter Amanda Galdino, ele abordou a guerra na Síria, conflito iniciado com revoltas internas de 2011 que se internacionalizou a partir do envolvimento de recursos militares de nações como Estados Unidos e Rússia e hoje é responsável com grandes contingentes de refugiados em nações vizinhas e na Europa.

Economia, geopolítica e guerra na Síria – II (ed. 9/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Augusto Teixeira no estúdio, durante a entrevista.
Neste sábado, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista com o professor Augusto Teixeira, do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Federal da Paraíba. Em conversa com a repórter Amanda Galdino, ele abordou a guerra na Síria, conflito iniciado com revoltas internas de 2011 que se internacionalizou a partir do envolvimento de recursos militares de nações como Estados Unidos e Rússia e hoje é responsável com grandes contingentes de refugiados em nações vizinhas e na Europa.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Qualidade das vias de João Pessoa varia de acordo com o status dos moradores (ed. 2/6/2018)

Descrição para cegos: foto do professor Ricardo Melo olhando para a câmera.
Isso foi constatado por pesquisa que analisou as condições de conservação das calçadas e o sistema de drenagem das ruas da capital paraibana. Os resultados mostram disparidades na conservação de acordo com os bairros analisados. O projeto foi orientado pelo professor Ricardo Melo, do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UFPB. Ele coordena o Laboratório de Geotecnia e Pavimentação do Centro de Tecnologia. Mais informações com o repórter Bruno Marinho.


segunda-feira, 4 de junho de 2018

Fiscalização sobre descarte de embalagens de agrotóxicos é ineficaz (ed. 2/6/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Belinda Pereira sorrindo para a câmera.
Segundo levantamento realizado pela professora Belinda Pereira, do Departamento de Direito Privado da UFPB, o Brasil tem uma legislação adequada. No entanto, a fiscalização é falha. Empresas multinacionais se aproveitam da extensão territorial do país para burlar o controle do rejeito das embalagens de praguicidas. Essa negligência compromete a saúde das pessoas que entram em contato com resíduos de agrotóxicos, podendo levar à morte. Mais detalhes com o repórter Allan Oliveira.

Baixa visibilidade da Física Médica não condiz com sua importância (ed. 2/6/2018)

Descrição para cegos: foto de Vitor Nascimento operando um equipamento de exames médicos que consiste de um tubo largo e um leito. Na borda desse equipamento há vários painéis e luzes.
A Física Médica é uma área pouco conhecida, tendo em vista a falta de informação sobre físicos na área da saúde. Contudo, esses profissionais são essenciais no funcionamento de qualquer hospital que lide com radiação. Vitor Nascimento, físico do Hospital Universitário Lauro Wanderley, explica que esses profissionais atuam em setores específicos nos hospitais. Entre essas atividades estão o manuseio de equipamentos de radioterapia e a fiscalização dos níveis de radiação em procedimentos médicos. O repórter Mateus Araújo traz mais informações.