terça-feira, 25 de julho de 2017

Livro discute escrachos de torturadores realizados pelo movimento estudantil (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Ana Paula Brito compondo uma imagem em que sua imagem se funde à capa do livro. Esta tem na sua metade superior a foto de um jovem se preparando para pular um muro cheio de pichações. Na inferior, constam o nome da obra e de sua autora.
A obra, resultante da dissertação de mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural da historiadora Ana Paula Brito, foi lançada no dia 19 na UFPB. Na ocasião, a autora proferiu a palestra de abertura do período letivo do Curso de História. O livro Escrachos aos Torturadores da Ditadura foi lançado pela Editora Expressão Popular e terá a venda revertida para o movimento Levante Popular da Juventude. O repórter Gabriel Costa entrevistou Ana Paula Brito sobre seu livro e os escrachos dos torturadores para o Espaço Experimental.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Professor aponta caminhos para uma reflexão apurada sobre o jornalismo (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Carlos Franciscato durante a palestra, falando em um microfone.
Com essa abordagem, Carlos Franciscato abriu o evento inaugural do período letivo da graduação em Jornalismo da UFPB na segunda-feira, dia 17. A II Jornada de Produção de Pesquisa em Jornalismo aconteceu na Sala Aruanda, no Centro de Comunicação, Turismo e Artes. A conferência teve como título Desafios para pensar o jornalismo no século XXI. A exposição foi dividida em três pontos: transformações contemporâneas no jornalismo, desafios para a pesquisa em jornalismo e um detalhamento sobre características fundamentais do jornalismo. A repórter Bianca Patrícia entrevistou o professor Carlos Franciscato, Doutor em Comunicação e Culturas Contemporâneas e Coordenador da pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Sergipe.

Professora pesquisa aproveitamento de descarte da indústria alimentícia (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Jailane Aquino em seu escritório, sorrindo para a câmera.
A intensa utilização de frutas na indústria brasileira gera quantidade significativa de subprodutos. Descartados pelas indústrias de polpas, resíduos como cascas, sementes e bagaço representam grande parte do fruto. Por apresentarem alto valor nutricional, esses subprodutos constituem uma alternativa para o enriquecimento da dieta humana. A pesquisa objetivou analisar o teor nutricional desses subprodutos e procurou novas maneiras de utilizá-los. Outro benefício resultante do aproveitamento desses resíduos é minimizar impactos ambientais. A coordenadora da pesquisa foi a professora do curso de Nutrição da UFPB Jailane de Souza Aquino, que atua na área de nutrição experimental. Mais informações com a repórter Râmila Ramalho.

domingo, 23 de julho de 2017

Débora Gil Pantaleão – I (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Débora Gil Pantaleão no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Apesar de ter publicado seu primeiro livro em 2015, Débora Gil Pantaleão faz literatura desde a infância, na poesia e na prosa. Este ano, uma editora de alcance nacional, a Penalux, lançou sua novela Causa Morte. Ela foi entrevistada pela repórter Fernanda Barreto para o Espaço Experimental sobre sua carreira e projetos.

Débora Gil Pantaleão – II (ed. 22/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Débora Gil Pantaleão no estúdio, durante a entrevista. Ela está rindo.
Apesar de ter publicado seu primeiro livro em 2015, Débora Gil Pantaleão faz literatura desde a infância, na poesia e na prosa. Este ano, uma editora de alcance nacional, a Penalux, lançou sua novela Causa Morte. Ela foi entrevistada pela repórter Fernanda Barreto para o Espaço Experimental sobre sua carreira e projetos.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

10 anos do Coletivo de Teatro Alfenim – I (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Zezita Matos no estúdio, falando ao microfone.
Empenhado em inovar na linguagem teatral e na forma como se organiza, o Coletivo de Teatro Alfenim comemora uma década de existência com uma retrospectiva das peças que montou ao longo do período. Sobre o grupo, sua proposta e seu engajamento, o Espaço Experimental entrevistou a atriz Zezita Matos e o ator Adriano Cabral, numa produção de Râmila Ramalho, Rennan Ono e William Veras.

10 anos do Coletivo de Teatro Alfenim – II (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de Adriano Cabral no estúdio, falando ao microfone.
Empenhado em inovar na linguagem teatral e na forma como se organiza, o Coletivo de Teatro Alfenim comemora uma década de existência com uma retrospectiva das peças que montou ao longo do período. Sobre o grupo, sua proposta e seu engajamento, o Espaço Experimental entrevistou a atriz Zezita Matos e o ator Adriano Cabral, numa produção de Râmila Ramalho, Rennan Ono e William Veras.

sábado, 15 de julho de 2017

João Nicodemos, poeta das coisas – I (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de João Nicodemos com uma de suas rabecas, em uma de suas apresentações, sorrindo, tendo um microfone diante dele. 
Músico, escritor, artista visual e luthier, ele se diz essencialmente um poeta que busca a poesia que existe nas coisas. Um pouco do resultado dessa procura pode ser conferido até o dia 14 de agosto na Estação Cabo Branco, onde ele está expondo rabecas e outros instrumentos musicais criados a partir de madeira reciclada, além de gravuras. João Nicodemos foi entrevistado para o Espaço Experimental por Renata Torres.

João Nicodemos, poeta das coisas – II (ed. 15/7/2017)

Descrição para cegos: foto de João Nicodemos no estúdio, falando ao microfone.
Músico, escritor, artista visual e luthier, ele se diz essencialmente um poeta que busca a poesia que existe nas coisas. Um pouco do resultado dessa procura pode ser conferido até o dia 14 de agosto na Estação Cabo Branco, onde ele está expondo rabecas e outros instrumentos musicais criados a partir de madeira reciclada, além de gravuras. João Nicodemos foi entrevistado para o Espaço Experimental por Renata Torres.



Canal de João Nicodemos no YouTube

Blogs de João Nicodemos:

segunda-feira, 10 de julho de 2017

O Grupo Marias – I (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Tatyane Guimarães no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Antes da docência, trabalhando como advogada popular, a professora Tatyane Guimarães atuou na defesa de mulheres em situação de vulnerabilidade. Essa experiência ela levou para o Centro de Ciências Jurídicas da UFPB onde, a partir do eixo de gênero e saúde do Centro de Referência em Direitos Humanos, criou o Grupo Marias. Tatyane foi entrevistada sobre o projeto para o Espaço Experimental. Produção de Fernanda Barreto, Nayla Georgia e Renata Torres.

O Grupo Marias – II (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Tatyane Guimarães falando a microfone, durante a entrevista.
Antes da docência, trabalhando como advogada popular, a professora Tatyane Guimarães atuou na defesa de mulheres em situação de vulnerabilidade. Essa experiência ela levou para o Centro de Ciências Jurídicas da UFPB onde, a partir do eixo de gênero e saúde do Centro de Referência em Direitos Humanos, criou o Grupo Marias. Tatyane foi entrevistada sobre o projeto para o Espaço Experimental. Produção de Fernanda Barreto, Nayla Georgia e Renata Torres.

sábado, 8 de julho de 2017

O Porto do Capim subindo a ladeira - I (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Regina Célia no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Na sua edição de hoje, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista sobre o projeto Subindo a Ladeira, que desde 2010 atua junto à comunidade do Porto do Capim, no Centro Histórico de João Pessoa, com atividades educativas e culturais. Foram convidados a professora Regina Célia Gonçalves, do Departamento de História da UFPB, coordenadora do projeto, e o músico e ativista Erick de Almeida. A produção foi de Joanderson Almeida, Matheus Couto e Vitor Feitosa.



O Porto do Capim subindo a ladeira - II (ed. 8/7/2017)

Descrição para cegos: foto do músico Erick de Almeida no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Na sua edição de hoje, o Espaço Experimental apresentou uma entrevista sobre o projeto Subindo a Ladeira, que desde 2010 atua junto à comunidade do Porto do Capim, no Centro Histórico de João Pessoa, com atividades educativas e culturais. Foram convidados a professora Regina Célia Gonçalves, do Departamento de História da UFPB, coordenadora do projeto, e o músico e ativista Erick de Almeida. A produção foi de Joanderson Almeida, Matheus Couto e Vitor Feitosa.

domingo, 2 de julho de 2017

Comissão Camponesa da Verdade – I (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Ana Paula Romão no estúdio, durante a entrevista.

No campo, assassinatos, torturas, prisões arbitrárias e desaparecimentos vitimaram lideranças camponesas que despontavam na luta pela reforma agrária, e essa violência começou antes mesmo do golpe de 1964. Com a ditadura, os desmandos se acirraram e o número de vítimas ainda é incerto. Foi com o objetivo de tentar aclarar mais essa história que atuou a Comissão Camponesa da Verdade, assunto abordado nesta edição do Espaço Experimental. Foram entrevistados pela repórter Marisa Rocha a professora Ana Paula Romão e o professor Eduardo Fernandes, que atuaram na comissão.

Comissão Camponesa da Verdade – II (ed. 1/7/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Eduardo Fernandes no estúdio, durante a entrevista.

No campo, assassinatos, torturas, prisões arbitrárias e desaparecimentos vitimaram lideranças camponesas que despontavam na luta pela reforma agrária, e essa violência começou antes mesmo do golpe de 1964. Com a ditadura, os desmandos se acirraram e o número de vítimas ainda é incerto. Foi com o objetivo de tentar aclarar mais essa história que atuou a Comissão Camponesa da Verdade, assunto abordado nesta edição do Espaço Experimental. Foram entrevistados pela repórter Marisa Rocha a professora Ana Paula Romão e o professor Eduardo Fernandes, que atuaram na comissão.