segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Evento de artes na UFPB homenageou Ana Mae Tavares Bastos Barbosa (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: a professora está sentada com uma bolsa no colo, de frente para a câmera.
No início da semana passada aconteceu o III Encontro Brasileiro de Artes para o Século XXI, na Universidade Federal da Paraíba, realizado pelo Laboratório de Artes Gráficas Oswaldo Goeldi e pelo Centro de Comunicação, Turismo e Artes. Constou de palestras, debates, oficinas e a entrega do título de doutora honoris causa à homenageada. Além de Ana Mae, o encontro contou com a presença de professores das universidades federais de Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. Ana Mae Barbosa é pesquisadora reconhecida por sua contribuição no campo da arte-educação no Brasil. Seus livros são considerados fundamentais para esta área. Ela foi a primeira brasileira com doutorado em Arte-Educação, defendido na Universidade de Boston, nos Estados Unidos. Professora titular aposentada do Departamento de Artes Plásticas da Universidade de São Paulo, continua colaborando como orientadora de teses e dissertações. A repórter Chrisley Wellen entrevistou Ana Mae Barbosa.

Rosvita Kolb destaca importância de Ana Mae para a Arte-Educação (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Rosvita levemente inclinada sobre a mesa, sorrindo.
Dentre as contribuições de Ana Mae, Rosvita destaca o método de ensino chamado Abordagem Triangular. Este alia teoria contextualizada, fazer artístico e leitura de obra de arte, proporcionando uma formação mais completa. Rosvita Kolb Bernardes, que participou do III Encontro Brasileiro de Artes para o Século XXI, é doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp, e especialista em Arte-Educação pela USP. Na Universidade Estadual de Minas Gerais ela leciona nos cursos de graduação e pós-graduação em Educação Artística. O repórter João Diniz entrevistou a professora Rosvita sobre a história e obra de Ana Mae.

domingo, 21 de agosto de 2016

Mesa redonda discutiu a trajetória de Angel e Klauss Vianna na dança (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Enamar de frente, sorrindo. No ombro, a alça de uma bolsa.
O tema foi abordado na última terça-feira, durante o III Encontro Brasileiro de Artes para o Século XXI. A mesa redonda foi composta pelas professoras Enamar Ramos e Joana Ribeiro, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, a Unirio. As convidadas discutiram a carreira de Angel e Klauss Vianna e sua importância no contexto da coreografia, dança e teatro. Durante a discussão foram exibidos vídeos com depoimentos de personalidades que trabalharam e tiveram contato direto com o casal. A repórter Diana Araújo entrevistou a professora Enamar Ramos sobre a influência de Angel e Klauss Vianna no cenário artístico do Rio de Janeiro.

Gravura artística brasileira tem vínculo com a cultura popular do país (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Maria Luisa sorrindo . 
A afirmação é da professora Maria Luisa Luz Távora, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ela ministrou uma palestra que teve como tema A Gravura Artística no Rio nas Décadas de 50 e 60. A palestra fez parte do III Encontro Brasileiro de Artes para o Século XXI, realizado na UFPB nas últimas segunda e terça-feira. O repórter Vitor Feitosa conversou com a professora Maria Luisa a respeito das contribuições e das peculiaridades da gravura artística do Rio.

Pesquisa analisou crise ambiental e sustentabilidade no semiárido (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Belinda em um corredor do Centro de Ciências Jurídicas segurando volumes encadernados com espiral, e um celular. Ela sorri para a câmera.
O objetivo foi avaliar, na perspectiva do direito socioambiental, essas questões, bem como a atuação do ser humano na região. O trabalho foi coordenado pela professora do Departamento de Direito Privado da UFPB Belinda Cunha. Nele, foi constatada a necessidade de implementação de políticas públicas ambientais em favor da sustentabilidade. Mais informações com o repórter Diego Fenas.

sábado, 20 de agosto de 2016

Bandas da Paraíba nos anos 1960 e 70 – I (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto do entrevistado sentado à mesa do estúdio, falando ao microfone. Atrás, sentadas, estudantes assistem à entrevista.
Neste sábado o Espaço Experimental entrevistou Edival Varandas, da Academia Paraibana de Música e da Sociedade de Cultura Musical. Em pauta, sua pesquisa que objetiva recuperar a memória da música pop da Paraíba nas décadas de 1960 e 1970. A produção foi de Carmem Ferreira, Danilo Monteiro e Lucas Campos.

Bandas da Paraíba nos anos 1960 e 70 – II (ed. 20/7/2016)

Descrição para cegos: foto do entrevistado sentado à mesa do estúdio, falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental entrevistou Edival Varandas, da Academia Paraibana de Música e da Sociedade de Cultura Musical. Em pauta, sua pesquisa que objetiva recuperar a memória da música pop da Paraíba nas décadas de 1960 e 1970. A produção foi de Carmem Ferreira, Danilo Monteiro e Lucas Campos.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Desvio e ocupações no baixo curso do Rio Jaguaribe aceleram degradação (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: imagem mostra o professor em seu escritório, tendo ao lado um computador. Ao fundo, um banner com trabalho de engenharia.

Uma pesquisa do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UFPB avaliou a atual formação do rio e a qualidade da água do local. O estudo Avaliação hidromorfológica e paisagística do baixo curso do Rio Jaguaribe mapeou a área que vai de Tambaú até Intermares, em Cabedelo. A pesquisa aplicou método alemão inédito no Brasil para estudo de rios urbanos. Outra metodologia utilizada foi a do Projeto Orla, do Ministério do Meio Ambiente. O Jaguaribe é o principal rio urbano da cidade de João Pessoa. Passou por obra de canalização na década de 20 e teve seu curso desviado para onde hoje se localiza o bairro São José. As primeiras construções às margens do rio naquela área são datadas dos anos 60. No estudo foram identificadas modificações ao longo dos seus 21 quilômetros de extensão, em especial no curso inferior. O trabalho foi desenvolvido por mestrandos e estudantes de graduação orientados pelo professor Tarciso Cabral. A repórter Marcella Machado conversou com o docente sobre alguns aspectos da pesquisa e os resultados das análises.

domingo, 14 de agosto de 2016

Pesquisa analisa contribuição da Contabilidade no licenciamento ambiental (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra o pesquisador em frente a uma janela.

O trabalho foi realizado pelo professor Christiano Coelho, do Departamento de Finanças e Contabilidade da UFPB. Ele explica que o papel da Contabilidade no licenciamento ambiental é controlar e prever os investimentos e os gastos das empresas envolvidas. A questão ambiental tem alcançado destaque nas discussões e pesquisas nos mais diversos campos do conhecimento e permeiam toda a sociedade. O licenciamento ambiental é um procedimento obrigatório para a implantação de empreendimentos que utilizem recursos ambientais. A repórter Lylyanne Braz conversou com o professor Christiano Coelho sobre a pesquisa.

Pesquisa analisa políticas públicas para remanescentes de quilombos (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra Carla diante de uma mesa.

O trabalho foi realizado pela mestre em Direitos Humanos Carla Daniela Leite Negócio. O estudo abordou as ações governamentais destinadas à população quilombola na Paraíba, cujo movimento reivindica a efetivação de programas que melhorem sua qualidade de vida e garantam seus direitos. A repórter Lucélia Pereira conversou com Carla Daniela sobre a pesquisa.

Pesquisa faz levantamento de escritos femininos em jornais paraibanos (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Maria Lúcia sentada a uma mesa, tendo alguns papéis sobre o móvel. Virada um pouco de lado, ela olha para a câmera.

Intitulado Quando as mulheres escrevem: Textos sobre a educação na imprensa paraibana, o estudo consiste no mapeamento das mulheres que escreviam para os jornais, nas décadas de 1920 e 1930, e das temáticas abordadas. A responsável é a professora do Departamento de Metodologia da Educação da UFPB Maria Lúcia Nunes. A pesquisa mostra que os assuntos abordados por essas mulheres estavam sempre relacionados à educação e à conquista de direitos. Mais detalhes com a repórter Gabriela Figueirôa.

sábado, 13 de agosto de 2016

Cinema, estética e política – I (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra Arthur no estúdio, falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental entrevistou o professor e cineasta Arthur Lins sobre o projeto Estética e política: estratégias de engajamento no documentário contemporâneo, que pretende estimular alunos do ensino médio de escolas públicas a realizarem documentários. Ele foi entrevistado por Vítor Nery.

Cinema, estética e política – II (ed. 13/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra Arthur Lins no estúdio, falando ao microfone.
Neste sábado o Espaço Experimental entrevistou o professor e cineasta Arthur Lins sobre o projeto Estética e política: estratégias de engajamento no documentário contemporâneo, que pretende estimular alunos do ensino médio de escolas públicas a realizarem documentários. Ele foi entrevistado por Vítor Nery.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Estudo analisa o discurso da sustentabilidade no setor hoteleiro pessoense (ed. 6/8/2016)

Descrição para cegos: foto mostra a professora Ana Lúcia ao
 lado de um painel com o resumo da pesquisa.
O estudo enfatizou a utilização da mídia para a promoção do turismo sustentável. Em empresas do setor hoteleiro, um dos maiores desafios é buscar estabelecer uma imagem de respeito ao meio ambiente. Devido à popularidade das questões ambientais, o objetivo por trás desse discurso é atrair a simpatia do público. A repórter Lylyanne Braz conversou com a professora Ana Lúcia de Araújo Lima Coelho, do Departamento de Administração da UFPB, sobre a pesquisa.

domingo, 7 de agosto de 2016

Reações do público em eventos esportivos inspiram artista (ed. 6/8/2016)

Descrição para cegos: a foto mostra Ângela Garcia.
Até o dia 20, a exposição Expressões e Sentimentos estará aberta para visitação na Pinacoteca da Biblioteca Central da UFPB. A mostra reúne intervenções que a artista plástica Ana Garcia faz sobre fotografias impressas em lona. Em seu trabalho, a artista capixaba realça as expressões dos torcedores envolvidos pelo calor das competições. O repórter Lucas Campos entrevistou Ana Garcia sobre a exposição e sua técnica artística.